COVID 19 pode chegar a presos
Tribunal de Justiça do Paraná revoga decisão de liberdade e deixa expostos ao novo coronavírus cerca de 28 detentos no Estado
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Delegacis de Matinhos
Delegacia de Matinhos, litoral do Paraná , credito: PCPR |

Em decisão judicial de urgência, o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJPR) decidiu manter cerca de 28 presos provisórios em  regime de detenção na cidade de Matinhos, litoral do estado. A medida contraria a decisão anterior do juizado criminal paranaense que, no dia 19/03, tinha liberado a soltura dos presos com o objetivo de evitar aglomerações nas penitenciarias devido os riscos de contágio do novo coronavírus.

No entanto, sob o argumento de não ter avaliado a gravidade de cada caso – haverem presos que cometeram crimes violentos (como estupro) – o TJPR revogou também a soltura de detentos que cometeram crimes não violentos (como roubo). A decisão descumpre a recomendação do próprio Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que determinou a tomada de medidas para contenção do coronavírus nas penitenciárias, substituindo a prisão preventiva pela domiciliar ou medida alternativa. Essa atuação do TJPR é um crime contra os direitos democráticos, pois é como se o Estado criasse uma espécie de pena de morte por coronavírus para determinados crimes.

Chama atenção no caso, a atuação do Ministério publico do Paraná do qual foi o autor do pedido de revogação da determinação do juizado criminal, mostrando o caráter reacionário da instituição, onde exerceu uma vez mais o seu poder, para perseguir os mais frágeis juridicamente. Mascarando assim uma política de apoio a manter o ambiente prisional mais distante da tarefa de ressocialização dos detentos para a sociedade.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas