Justiça decide salvar Michel Temer e manter Lula na prisão

brasil-fachin-temer-20150616-003

Da redação – No mesmo dia em que negou o pedido da defesa de Lula (22), o ministro Edson Fachin, da segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu engavetar uma denúncia que compromete o presidente golpista Michel Temer.

Trata-se da investigação de um manuscrito apreendido no gabinete do Senador Ciro Nogueira (PP) que relaciona diretamente Michel Temer a um possível esquema de corrupção. No gabinete do Senador, foi encontrado um documento que dispõe o nome de Temer ao lado de emblemáticos caracteres e números: “fundo 1.000, Imp 200, RT 200 2”, adjacente a “Temer 300 300”.

Misteriosamente, a Polícia Federal (PF) preferiu não divulgar o significado dos números e o motivo de o nome de Temer estar ali. Assim, a PF não levantou maiores detalhes e propôs o fim dos trabalhos sobre o caso.

Acatando a sugestão da PF, o ministro Edson Fachin alegou que não há provas suficientes para investigação contra Temer e determinou o arquivamento do inquérito. Dessa Maneira, ficou em aberto o significado do nome de Temer no documento apreendido.

Mais uma vez é escancarada a natureza seletiva e ditatorial do Poder Judiciário. Vale lembrar que, no mesmo dia, Fachin determinou que Lula não poderá aguardar em liberdade o julgamento de mais um recurso contra sua condenação na operação Lava Jato, fato que abre algumas especulações a respeito das diferentes posturas em relação a Lula e a Temer.