Justiça de Roraima tenta fechar fronteira da Venezuela e STF cancela medida

rosa

Da redação – A ministra golpista Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), abriu ainda mais a crise no bloco golpista ao rejeitar nesta segunda-feira, 6, o segundo pedido do governo de Roraima para fechar a fronteira do estado contra a entrada de venezuelanos no Brasil. Porém, a decisão de Rosa não revoga a determinação do juiz Helder Girão Barreto, da 1ª Vara da Federal de Roraima, que proibiu o ingresso no domingo, dia 5.

A governadora do Estado, Suely Campos (PP), após ter sua atitude fascista negada pela justiça, de maneira despótica, com um decreto, proibiu aos que não possuem passaporte, o direito ao atendimento na rede de saúde e educação do Estado. Mas, logo após o dia de ontem começar, a Polícia Rodoviária Federal bloqueou a fronteira na segunda-feira. 

A ministra golpista declarou que fechar a fronteira do estado com a Venezuela contraria a Constituição e os tratados internacionais ratificados pelo Brasil.

“Não se justifica, em razão das dificuldades que o acolhimento de refugiados naturalmente traz, partir para a solução mais fácil de ‘fechar as portas’, equivalente, na hipótese, a ‘fechar os olhos’ e ‘cruzar os braços'”, argumentou.

A governadora golpista ainda pediu R$ 180 milhões da União para gastos com os imigrantes, porém, a questão ainda não foi analisada, pois a ação ainda será julgada em data marcada. A ministra determinou ainda que o juiz de Roraima seja notificado. Caberá a ele decidir se revoga a decisão tomada no domingo ou se mantém o fechamento, mesmo contrariando o STF.

Essa medida esconde o verdadeiro caráter reacionário que avança com o golpe de estado.