Espionagem em São Paulo
O Tribunal de Justiça de São Paulo negou um pedido de suspensão do Sistema de Monitoramento Inteligente (Simi). Está autorizada a vigilância dos cidadãos.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
doria-2
Governador João Doria (PSDB-SP). |

A Justiça de São Paulo, por meio da ministra Laurita Vaz, negou uma petição feita por um advogado que solicitava a suspensão do programa de vigilância dos celulares dos cidadãos paulistas anunciado pela administração João Doria (PSDB). O programa é o Sistema de Monitoramento Inteligente (Simi), que, segundo Doria, somente executaria o monitoramento do deslocamento e aglomeração das pessoas para garantir o cumprimento das medidas de isolamento social. As quatro maiores empresas de telefonia móvel do país (Vivo, Oi, Tim e Claro), que cobrem 100% do serviço de telefonia no Estado de São Paulo, firmaram um acordo de cooperação com o governo estadual.

Com a autorização, a Justiça dá aval para que o governador João Doria avance na espionagem massiva dos cidadãos. As polícias militar e civil, os setores de inteligência da Secretaria de Administração Penitenciária, da Casa Civil e Militar, e diversos outros órgãos governamentais realizarão o a vigilância, o que significa também a análise e o armazenamento dos dados coletados.

Em hipótese alguma, Dória anunciaria o fato de que se aproveita da crise da pandemia do coronavírus para montar um sofisticado e capilarizado sistema de espionagem, visando em primeiro lugar monitorar a atividade dos partidos de esquerda, os sindicatos, os movimentos de juventude, as universidades e as organizações populares. Com o começo das mobilizações de rua, inevitáveis no contexto de aprofundamento da miséria, o governador não quer ser pego de surpresa e já ter o sistema de repressão preparado e disponível.

Por décadas, enquanto espionava massivamente os cidadãos, o governo americano negou que houvesse todo um sistema de vigilância financiado e mantido para manter a população sob controle. A Agência de Segurança Nacional (NSA), principal agência de coleta e armazenamento de dados dos EUA, teve sua existência negada por cerca de 30 anos. O ex-agente Edward Snowden revelou ao mundo o sistema internacional de vigilância americano, que apresentava como justificativa o “combate ao terrorismo”.

O Sistema de Monitoramento Inteligente é uma medida ditatorial de João Doria, que viola todos os direitos democráticos garantidos na Constituição de proteção à privacidade e sigilo da vida dos cidadãos. Doria quer conferir um ar de legalidade a um aparelho – que já existe e atua dentro do Estado e nas forças de repressão – capaz de monitorar a atividade dos cidadãos e, em particular, de seus opositores políticos.

O caráter ditatorial e policialesco do governo João Doria fica escancarado mais uma vez, bem como a cumplicidade do sistema de justiça, infestado por fascistas.

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas