Educação
A Justiça de São Paulo deferiu ação pública movida pela APEOESP e FEPESP em favor da suspensão da retomada das aulas presenciais em São Paulo
Apeoesp
Apeoesp realizou atos contra a retomada das aulas e em defesa da vida dos professores e alunos | Reprodução
Apeoesp
Apeoesp realizou atos contra a retomada das aulas e em defesa da vida dos professores e alunos | Reprodução

Nesta quinta-feira (28), a Justiça de São Paulo deferiu ação pública movida pela Associação dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) e pela  Federação dos Professores do Estado de São Paulo (Fepesp) em favor da suspensão da retomada das aulas presenciais em todo o território estadual.

Conforme a decisão da juíza Simone Gomes Rodrigues Casoretti, da 9ª Vara da Fazenda da Capital, os efeitos do decreto 65.834/2020 foram suspensos. Estes autorizavam a retomada das aulas nas escolas públicas e privadas, mesmo nas fases mais restritivas (laranja e vermelho) do Plano São Paulo.

O governo João Doria (PSDB) vai recorrer da decisão para obrigar professores, crianças, adolescentes, funcionários e pais de alunos a se expor ao contágio pelo COVID-19 nas escolas.

 

 

Relacionadas
Send this to a friend