“Auxílio mansão”: Bretas, o “Moro do RJ”, anuncia venda de casa por R$ 5,8 milhões

mansao bretas

Da redação – Responsáveis por processo que visa garantir o auxílio moradia, Marcelo Bretas e a esposa, Simone, ambos juizes, detêm a propriedade de imóveis milionários e concentram mais de R$ 90 mil em rendimentos mensais. Esse é só um exemplo do absurdo dos auxílios moradia aos juízes: na lei, não consta proibição de auxílio a quem já possui casa própria, ela não exige qualquer comprovante de que o dinheiro seja de fato gasto com moradia e, mesmo sendo proibido dois juízes residentes sob o mesmo teto acumularem o auxílio, essa é a situação do casal Bretas desde os anos 2000.

“Cinco suítes, lareira, três banheiras de hidromassagem, escadaria em mármore, espaço gourmet, churrasqueira, pomar, jardim, garagem para quatro carros, sauna, um campo de futebol próprio e até uma piscina aquecida que avança pela sala. Por R$ 5,8 milhões é possível comprar a humilde casa de campo em que os juízes federais Marcelo e Simone Bretas fogem do atarefado dia a dia que envolve, entre outras coisas, os julgamentos dos casos da Lava Jato no Rio de Janeiro.” assim é descrita uma das mansões dos Bretas em matéria da The Intercept Brasil.

Enquanto são taxados de “guardiães da moralidade”, com “gestos de grandeza” e afins, os responsáveis pela “guerra contra a corrupção” no Brasil são os mais corruptos de todos. Apenas esse ano, se o reajuste de 16,38% para o salário dos magistrados for aprovado, o casal Bretas deve passar a receber ainda outros R$ 7 mil a mais cada um. Isso em meio a uma das maiores crises econômicas nacionais que corta gastos básicos de saúde, educação, auxílios sociais, do povo brasileiro. Isso é o golpe pagando seus agentes. Por isso, é preciso lutar contra o golpe e contra todos os golpistas nas ruas. Desacreditar das instituições como forma de luta e confiar apenas na organização e mobilização popular como método de conseguir avanços sociais para a população.