Grécia
A decisão de considerar o partido político Aurora Dourada como organização criminosa abre um perigoso precedente para a criminalização da esquerda revolucionária.

Por: Redação do Diário Causa Operária

Nesta quarta-feira (7), um tribunal em Atenas, capital da Grécia, determinou que o partido político de extrema-direita Aurora Dourada é uma organização criminosa. O julgamento teve início há cinco anos, com a instalação de uma corte improvisada no interior de uma prisão de segurança máxima. Do lado de fora da prisão, uma multidão se reunia. Houve confrontos entre manifestantes e as forças policiais, que lançaram gás lacrimogêneo.

O Aurora Dourada já foi a terceira maior legenda do país balcânico. A partir deste veredito, o partido torna-se ilegal e seus membros ficam sujeitos à prisão. Os três juízes consideraram o partido responsável por uma série de ataques, o que inclui o assassinato do rapper Pavlos Fyssas. São conhecidas as inspirações nazifascistas do Aurora Dourada e sua estreita ligação com agentes do aparelho de repressão oficial (polícia, Forças Armadas) e com grupos nazistas. As principais bandeiras do Aurora são a luta contra os imigrantes e o combate político e ideológico à esquerda.

O partido nega qualquer envolvimento com assassinatos e ataques a imigrantes. Para este, trata-se de uma conspiração com motivações políticas.

É importante destacar que a esquerda não deve comemorar a cassação e criminalização do partido Aurora Dourada.  Ações deste tipo abrem jurisprudência para que o sistema judiciário reacionário, controlado pela burguesia, possa considerar a esquerda e os partidos comunistas revolucionários também como organizações criminosas.

No contexto do aprofundamento da crise capitalista e de crise do sistema parlamentar, a burguesia busca impedir que a polarização social continue se desenvolvendo. A criminalização do Aurora Dourada é uma tentativa da burguesia de caminhar nesse sentido, uma vez que este partido é expressão da agudização da luta de classes.

O judiciário não pode ter o poder de decidir quais partidos podem ter existência legal e quais não. Nenhum obstáculo deve ser posto para que os partidos atuem na vida política e apresentam suas ideias à sociedade. O combate ao fascismo não se faz por meio de medidas das instituições burguesas, responsáveis por proteger e estimular os fascistas quando é de seu interesse.

Somente pelo método da classe operária, da organização e mobilização revolucionária dos trabalhadores, é que se pode derrotar o fascismo. A proscrição de um partido político pela decisão de três juízes somente fortalece os partidos tradicionais da burguesia, que controlam o regime político. Não se deve ter a ilusão de que a burguesia vá controlar o fascismo. Quando é do seu interesse, ela coloca os bandos fascistas para aterrorizar a população e atacar a esquerda. É o caso do Aurora Dourada, um instrumento que a burguesia utilizou quando lhe foi conveniente.

Send this to a friend