Jovem negro espancado no Guarujá (SP): candidatura de Bolsonaro estimula a extrema-direita racista

2018-07-22t172428z_1998330625_rc116ee76190_rtrmadp_3_brazil-politics-e1532384851989

Um jovem negro foi imobilizado, agredido e quase linchado por um grupo de bolsonaristas, no último sábado (13), na praia das Astúrias no Guarujá, litoral de São Paulo. Um ato de barbárie motivada pelo racismo da direita e da extrema-direita e que está sendo mais amplamente estimulado pela candidatura do fascista Jair Bolsonaro.

Parte da agressão racista foi filmada por uma mulher negra, vendedora na praia, que tentou impedir o linchamento e que também virou alvo, foi xingada e expulsa pelos bolsonaristas, acusada de “proteger bandido”. No vídeo, durante a agressão, é possível ouvir  um dos indivíduos afirmando: “Dia primeiro isso vai acabar”, em referenciada eventual posse de Bolsonaro. Testemunhas afirmaram que houve incitação a tortura com pedidos para que se pendurasse o rapaz de cabeça para baixo. Um membro do grupo, ainda segundo testemunhas, gritou: “ Tem que matar um vagabundo desses, aqui é Bolsonaro porra”.

Sem qualquer indício, o jovem negro foi parado e acusado de furtar algo, um celular, depois uma corrente, o que o rapaz nega. No vídeo gravado pela vendedora é possível ver o rapaz imobilizado pela barriga por um fascistóide, enquanto outro segura suas pernas,  outros ainda o espancam. Um grupo maior olha e incita o linchamento e o assassinato do jovem. A polícia chegou levou o jovem enquanto os bolsonaristas gritavam “Mito”.

Um grupo ainda foi até onde a vendedora que fez o vídeo trabalha exigir, junto a sua chefe, a demissão, o que não foi acatado.

O povo negro, como população oprimida no país, é o primeiro alvo dos golpistas; da extrema-direita bolsonarista, tanto do ponto de vista da política econômica, já que esta população será a mais violentamente afetada pela política dita de austeridade, que significa jogar milhões na miséria, quanto do ponto de vista da repressão, uma vez que o negro é maioria do povo brasileiro e a burguesia necessita debelar todos os possíveis pólos de resistência a sua política.

É necessário a organização  do povo negro em aliança com movimento operário e popular para fazer frente a investida da direita golpista que apoia os racistas bolsonaristas que querem esmagar completamente o negro. Pela criação comitês de autodefesa do povo negro contra os golpistas e contra o golpe já.

Veja o vídeos publicado pelo Ponte.org: