Siga o DCO nas redes sociais

Jundiaí (SP)
Jovem e negro, mais um assassinado pela PM
Jovem é levado pela polícia sem qualquer registro de abordagem e cães farejadores encontram vestígios de seu cheiro 35km distante
carlos-eduardo-dos-santos-nascimento-20-desaparecido-apos-abordagem-policial-em-jundiai-sp-1577975649437-v2-450x450
Jundiaí (SP)
Jovem e negro, mais um assassinado pela PM
Jovem é levado pela polícia sem qualquer registro de abordagem e cães farejadores encontram vestígios de seu cheiro 35km distante
Carlos Eduardo dos Santos Nascimento.
carlos-eduardo-dos-santos-nascimento-20-desaparecido-apos-abordagem-policial-em-jundiai-sp-1577975649437-v2-450x450
Carlos Eduardo dos Santos Nascimento.

Os lacaios fascistas da polícia cada dia mais são incentivados a exterminar os jovens negros e pobres. Desta vez cães farejadores da própria polícia militar encontraram o cheiro do jovem de 20 anos, Carlos Eduardo dos Santos Nascimento, na mata próxima ao município de Jarinu (SP). O local fica a cerca de 35 km de onde o jovem foi abordado pela PM em Jundiaí (SP) no dia 27 de dezembro e levado algemado na viatura quando, em seguida, desapareceu.

O desaparecimento do jovem, que era ajudante de caminhão de mudanças, não foi por acaso. Ele estava com quatro amigos se divertindo em um bar da periferia de Jundiaí quando a polícia abordou todos os presentes no recinto. Carlos sendo o único negro foi também o único a ter sido colocado na viatura. Sem sequer ter registrado a abordagem do jovem ele foi levado para um destino já bastante comum da polícia.

Os lacaios que são chamados de policiais negam qualquer tipo de abordagem e, mesmo com o afastamento destes das ruas, a polícia trata o caso como mero desaparecimento. O fato é que as investigações só começaram seis dias após o ocorrido, dando mais tempo para a destruição de provas técnicas que comprovem o acontecido. A própria instituição aproveitou as festas de ano novo para ganhar tempo para os agentes afastados limparem a área. Após esse período para não caírem em total descrédito perante a esquerda pequeno burguesa, iniciaram investigações que levaram a mata.

Lá os policiais devem ter cometido todo tipo de atrocidade contra o rapaz, aproveitando da baixa de efetivo e da desmobilização da corporação para investigar seus próprios crimes. A política de Bolsonaro incentiva que situações como essa sejam cada dia mais comum. E é justamente isso que vem acontecendo. Massacres um após o outro demonstram que é uma política genocida que visa o extermínio de toda a população negra no país. Segundo o pai da vítima, os amigos dele “estão com medo, não só eles como todo mundo que viu a abordagem está com receio de ir conversar na Corregedoria e ir conversar na Polícia. Não sei o porquê, mas estão com medo de ir conversar e falar o que realmente aconteceu”.

A milícia fascista do estado burguês costumeiramente tem essas atitudes, ataca, mata e depois persegue todos aqueles que possam ser testemunhas das atrocidades que cometem. A dissolução da PM é emergencial e somente o povo na rua pode fazer com que isso aconteça, fazendo com que a máquina de extermínio dos jovens negros e pobres cesse.