Jovem é assassinada sumariamente por PM em São Paulo

polícia-militar-f

Uma jovem de 20 anos foi covardemente assassinada por um Policial Militar na manhã  desta terça-feira (02), em Poa, região metropolitana de São Paulo. Brenda Lima de Oliveira foi morta com um tiro no peito enquanto passeava de moto com seu namorado de 19 anos, que também foi atingido, mas sobreviveu. A atrocidade cometida pelo PM gerou comoção e revolta na população, que na tarde do mesmo dia protestou, paralisando ruas e incendiando dois ônibus no Terminal de Ônibus de Cidade Kemel, no Jardim São José.

O assassinato deu-se pela ação inacreditável; absurda; monstruosa de um policial militar, que ao ver os jovens, da sacada de sua casa, em seu percurso de motocicleta pela rua em que mora decidiu tomá-los por alvo, abriu fogo, matou a jovem e feriu o namorado. O próprio assassino procurou explicar sua atitude,  ele estaria sendo perseguido, que já haviam jogado uma “bomba” em sua sacada e ao visualizar o casal na motocicleta pensou que poderiam ser seus perseguidores e como a moça teria feito uma gesto brusco, em sua opinião, atirou de sua sacada contra o casal.

O jovem informou à Polícia não saber o que estava acontecendo no momento, que só se deu conta de algo quando a namorada apertou-lhe o braço com força. O policial assassino apresentou-se a delegacia e foi liberado pela Polícia Civil para responder em liberdade. O rapaz foi encaminhado ao Hospital de Ferraz de Vasconcelos e recebeu alta, a família informou que ele está com uma bala alojada nas costas.

Essa ação que faltam-nos palavras para descrevê-la em toda sua crueldade e absurdo, não é  resultado ação de um indivíduo louco ou despreparado, mas segue a prática e a orientação correntes da instituição Polícia Militar para atuação na periferia, contra o negro e o pobre.  

A Polícia está matando, na periferia, cidadãos, à luz do dia, enquanto este passeiam pelas ruas, fazendo-os de alvo, no Rio de Janeiro um helicóptero abriu fogo contra a população, o “Caveirão voador” assassinou uma criança voltando da escola. Em suma, é instituição assassina, cuja função é reprimir a população pobre e negra, impedi-los o acesso aos seus direitos, uma instituição da burguesia contra o povo trabalhador. O golpe de Estado vem elevando o grau de violência da polícia contra a população, demonstrando que a Polícia serve ao Golpe.

Não pode haver nem um vestígio de democracia se há uma instituição de assassinos do povo tal como a PM. Está colocada  na situação política a extinção desta organização assassina e golpista e sua substituição por milícia municipais eleitas e controladas pela população.