Jornalista da Jovem Pan espalha foto de irmão de Toffoli como sendo desembargador que mandou soltar Lula

claudio tognolli

Cláudio Tognolli, integrante dos quadros tidos como “qualificados” da xucra direita brasileira, sofreu reprimenda e, a depender do Ministro Dias Toffoli, será processo pelo Ministério Público Federal após divulgar falsas informações sobre o irmão do ministro.

Durante o último domingo, na tentativa de atacar o desembargador que concedeu habeas corpus a Lula, o jornalista da Jovem Pan divulgou – e há quem diga que foi o principal impulsionador – uma imagem antiga que mostra o irmão de Toffoli como sendo o desembargador Rogério Favreto, beijando o então presidente Lula. O objetivo, cínico, era de tentar inflamar o falso clima de parcialidade nutrido pela direita, na tentativa de mostrar que só um fanático partidário seria capaz de acatar o justíssimo pedido de liberdade em favor de Lula.

O mesmo jornalista, que iniciou sua carreira nos anos 80 no fascistóide Grupo Abril, divulgou em suas redes sociais o número de celular de Fravetto no auge do embate travado entre os legalistas e os golpistas dentro do poder judiciário. Evidentemente, a atitude do golpista contribuiu para aumentar o clima de tensão em torna de uma questão tecnicamente simples (a libertação de Lula) e para que o plantão de Fravetto fosse interrompido antes da hora, em razões das ameaças de morte que começou a receber.

Foi este mesmo jornalista que divulgou exames de tomografia de Marisa Letícia – falecida esposa de Lula – quando esta estava hospitalizada, para deleite dos inescrupulosos direitistas.

À direita falta muita coisa, sobretudo honestidade intelectual, mas é necessário reconhecer que sua criatividade para vilipendiar o que sobrou das instituições democráticas nacionais é vastíssima. O leque de frentes de atuação contempla desde o sutil doutrinamento do monopólio da imprensa até a clássica divulgação de notícias falsas, ameaças de golpe de Estado e propogação de informações sigilosas como forma de represália.