Lições de oportunismo
Youtuber segue exemplo de Armínio Fraga e da Folha de S.Paulo e tenta favorecer alguns candidatos de seu partido em detrimento de outros
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
jones manoel
Jones Manoel | Foto: Reprodução

Nas antidemocráticas e fraudulentas eleições municipais de 2020, o Partido da Causa Operária vem dando um extraordinário exemplo de como enfrentar a direita, mesmo nos cenários mais adversos. Com candidatos em quase 100 cidades, o PCO é o terceiro partido do País em número de candidatos nas capitais. E, o que é mais importante: todas as candidaturas estão a serviço de um programa verdadeiramente revolucionário, centrado na mobilização dos trabalhadores e na construção do partido revolucionário. O mesmo, contudo, não pode ser dito da esquerda pequeno-burguesa, muito menos dos grupos autointitulados “revolucionários”.

É o caso, entre outros milhares, do youtuber pernambucano Jones Manoel, neste momento filiado ao Partido Comunista Brasileiro (PCB). Tornado conhecido após uma entrevista com o lava-jatista Caetano Veloso, o também blogueiro tem se destacado nacionalmente por defender uma revisão bizarra e vulgar do marxismo e da história mundial e por se colocar à disposição da “frente ampla”.

O flerte de Jones Manoel com a “frente ampla” e com a figura de Josef Stalin são a expressão de um fenômeno geral: na medida em que a polarização aumenta, os setores mais direitistas e carreiristas e menos politizados da esquerda pequeno-burguesa vão sendo arrastados para uma política mais profunda de conciliação com a classe dominante. E, uma vez que a burguesia vai se tornando cada vez mais fascista, de modo a tentar conter a revolta dos trabalhadores, os setores da esquerda que lhe acompanham vão sendo obrigados a copiar os seus métodos.

Marxismo de camarote

Há algumas semanas, Jones Manoel declarou que não queria participar das eleições como candidato:

“Eu não sou candidato. A gente conversou no PCB e achou que não seria tático eu ser candidato nessa eleição porque o meu debate, o debate que eu faço, não é tão localizado como a eleição para vereador. Então, eu tenho muito mais facilidade para debater a política de preços da Petrobras do que a iluminação pública da minha rua”.

O youtuber, como qualquer cidadão, tem todo o direito a não se lançar candidato. Contudo, se o motivo é que ele não teria condições de defender uma política para as eleições, o natural seria que ele não debatesse as eleições. Mas isso não é fato: Jones Manoel tem uma política para as eleições e está debatendo as eleições. Apenas, como um típico frente-amplista com simpatias pelo stalinismo, procura a forma mais rasteira de defender sua política: por meio das redes sociais. Afinal, debater abertamente sua política de submissão à direita é inviável.

Essa posição não tem coisa alguma a ver com o marxismo, doutrina que Jones Manoel reivindica para si. Um marxista que não se disponha a participar da luta de classes real não é, no fim das contas, um marxista, mas simplesmente um diletante. E nesse caso, um diletante que usa o marxismo em favor dos maiores inimigos do marxismo. Isto é, para a política oportunista de colaboração com a burguesia.

A candidatura de Guilherme Boulos

Jones Manoel dedica boa parte de seu espaço na internet para apoiar a candidatura de Guilherme Boulos, o candidato oficial da “frente ampla” em São Paulo. Boulos, que não tem chance real alguma de vencer as eleições, está sendo adulado por todo tipo de vigarista: Vera Magalhães, José Luís Datena e, sempre, sempre, sempre, a Folha de S.Paulo. E a adulação não é à toa: o programa de Boulos é extremamente direitista. O candidato do PSOL, que tentou se passar, há alguns meses, como grande líder do “Fora Bolsonaro”, não fala em momento algum em derrubar o governo. Muito pelo contrário: seu programa para o aparato de repressão é o mesmo da extrema-direita, que é o de armar e fortalecer a polícia. Não bastasse isso, a burguesia colocou uma “garantia” para que a candidatura de Boulos servisse a seus propósitos: Luiza Erundina, candidata a vice-prefeita, tem larga experiência em reprimir greves operárias, como no caso da CMTC, e de participar de governos burgueses, como no caso de Itamar Franco.

O apoio à candidatura de Boulos já seria, em si, algo bastante desmoralizante. Mas não é só isso: como a candidatura é direitista e desmoralizante, Jones Manoel, para defender seu ídolo, acaba utilizando métodos de campanha igualmente direitistas e desmoralizantes:

A campanha de Jones Manoel em relação a Guilherme Boulos é o mesmo tipo de campanha que a burguesia utiliza nas eleições: a campanha personalista, do candidato individual. Como o programa da direita é indefensável, a burguesia incentiva seus partidos a fazerem uma campanha em torno das “pessoas” que estão saindo candidatas. Ao invés, por exemplo, de expor que a candidatura do PSDB é a candidatura dos banqueiros, que defende a volta às aulas e mais repressão contra o povo, a burguesia faz a campanha de que Bruno Covas seria um gestor com uma série de qualidades.

Jones Manoel exalta os supostos atributos de Guilherme Boulos porque é apenas isso que ele tem a oferecer. Boulos “vai vencer” nas urnas simplesmente por uma questão de fé. Ou, como Jones Manoel disse, porque “está com cheiro” de que vai vencer. E, além de tudo, o apoio a Boulos não se dá porque sua candidatura defende um programa ancorado na mobilização dos trabalhadores, mas sim porque ele “é o cara”. Uma espécie de “mito” que vai fazer acontecer.

Foi esse tipo de campanha, do “super Boulos”, que a burguesia fez para garantir que Boulos fosse o candidato do PSOL na cidade. A classe dominante, por meio de seus recursos, sobretudo a imprensa, impôs a sua vontade na legenda, que escolheu Boulos como candidato sem qualquer debate interno real. O mesmo método, embora de maneira mais descarada, foi utilizado em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, quando banqueiros financiaram um candidato a vereador do PSOL.

A campanha personalista, assim, serve não apenas para que a burguesia esconda seu programa, como também para que ela escolha os candidatos dos partidos políticos. Se um partido de esquerda aceita esse tipo de campanha personalista, estará permitindo que a disputa entre indivíduos determine o destino do partido. E se na disputa do indivíduo o que conta é a força do indivíduo, e não o programa, os indivíduos que irão prevalecer são aqueles que receberem maiores recursos da burguesia.

Uma campanha contra o próprio partido

Guilherme Boulos, que é, nesse momento, a principal candidatura da “frente ampla” no País, acabou servindo de modelo para que Jones Manoel utilizasse os métodos da burguesia contra o seu próprio partido. O youtuber decidiu apoiar um determinado candidato a vereador em Belo Horizonte, sendo que o partido tem 10 postulantes na cidade. Com o mesmo tipo de elogio que desferiu a Boulos, Jones Manoel escolheu o candidato seu que deveria ser privilegiado no PCB:

Jones Manoel tem milhares de seguidores nas redes sociais, conquistados por meio de uma série de concessões feitas pela burguesia, indo da imprensa à academia. Quando decide fazer campanha para um determinado candidato, ainda mais deixando claro que é “o melhor” de Belo Horizonte, está, no fim das contas, utilizando todo o prestígio conseguido pela classe dominante para decidir os rumos do PCB.

Um cabo eleitoral de qualquer partido

Se a política de Jones Manoel consiste em apoiar indivíduos, e não partidos e programas, então, no fim das contas, o blogueiro do PCB pode ser um cabo eleitoral de qualquer partido. E é o que acontece na prática. Partindo de suas próprias conveniências — sendo que as conveniências individuais sempre são as conveniências da burguesia —, Jones Manoel tem apoiado todo tipo de candidatura.

Vimos que, mesmo sendo filiado ao PCB, o youtuber defende, em Minas Gerais, um determinado candidato em detrimento de outro. Em São Paulo, Jones Manoel defende um candidato de outro partido — o PSOL —, sob o pretexto oportunista do “voto útil”. No estado em que Jones Manoel reside, contudo, a situação é ainda mais espantosa.

Em Pernambuco, o PCB decidiu ficar a reboque da candidatura da Unidade Popular, indicando um quadro antigo do partido para concorrer à vaga de vice-prefeito. O partido ainda decidiu lançar uma candidatura ao cargo de vereador da cidade. E quantas publicações Jones Manoel fez em defesa da candidatura da UP ou mesmo sua companheira de partido candidata a vereadora? Absolutamente nenhuma. Ao que parece, não é conveniente para Jones Manoel defender o próprio partido ou a decisão do próprio partido no próprio estado em que reside.

Para me atacar após o debate de UFPE, Jones Manoel se colocou em defesa do candidato do DEM em Recife, Mendonça Filho. Não se sabe se é esse de fato o seu candidato na cidade, mas chama a atenção, inclusive, que Jones Manoel não criticou Mendonça Filho, nem qualquer outro candidato da direita nas redes sociais. O único candidato que vem sendo criticado pelo blogueiro é João Campos, do PSB, mesma tática que vem sendo utilizada por Mendonça Filho e pela candidatura que o PSOL apoia, de Marília Arraes (PT)…

Qual seria a importância de defender uma candidatura na cidade onde um militante mora, tem contatos, pode participar de atividades presenciais etc.? Para um youtuber cuja carreira se resume a “tretas” no Twitter, nada disso teria valor: o importante é usar o marxismo para chamar voto em alguém.

O método de Jones Manoel, no fim das contas, é a antítese do método de um verdadeiro partido revolucionário face às eleições. Um método que ignora completamente a construção do partido, que se volta para os indivíduos e que apenas favorece a burguesia a manter sua dominação.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas