Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Na edição deste 8 de março, Dia Internacional da Mulher Trabalhadora, o jornal francês Libération decidiu expor a desigualdade econômica entre homens e mulheres de uma forma bastante explícita, cobrando nesta edição 2,50 euros para os homens e 2 euros para as mulheres.

A publicação também anunciou que o lucro potencial da edição será doado ao Laboratório da Igualdade, associação que luta pela equiparação profissional entre homens e mulheres.

O jornal, que foi fundado por Jean-Paul Sartre após o movimento revolucionário de maio de 1968 na França, é considerado de esquerda e, nos seus primeiros anos, foi pioneiro em uma série de ações, como por exemplo a recusa de aceitar propagandas em suas páginas. Até mesmo os classificados eram de graça. O Libération era financiado pelas suas assinaturas e dinheiro da venda em bancas.

Na França, a diferença salarial entre homens e mulheres continua sendo de 25%. Em toda União Europeia, de acordo com a agência Eurostat, cada euro recebido por um homem, equivale a uma média de 84 centavos para as mulheres. No Brasil, o cenário é ainda pior, com os homens ganhando um salário médio de R$ 2.251 e as mulheres ganhando R$ 1.762, segundo pesquisa de 2017.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas