Siga o DCO nas redes sociais

Racismo cresce no futebol
Jogadores brasileiros sofrem racismo no Brasil e no exterior
Aumenta o número de casos registrados pelo Observatório da Discriminação Racial no futebol
racismo_futebol_banana_torcida-racista-discriminacao
Racismo cresce no futebol
Jogadores brasileiros sofrem racismo no Brasil e no exterior
Aumenta o número de casos registrados pelo Observatório da Discriminação Racial no futebol
Torcedores racistas fazem ofensa contra jogadores negros.
racismo_futebol_banana_torcida-racista-discriminacao
Torcedores racistas fazem ofensa contra jogadores negros.

O Observatório da Discriminação Racial, organização destinada a mensurar e denunciar ocorrências de casos de racismo, divulgou dados parciais sobre o ano de 2019. São 53 casos de racismo, sendo 47 em jogos nacionais e seis fora do país, envolvem tanto jogadores como árbitros e outros funcionários responsáveis pelos jogos.

O aumento sobre casos como manifestações racistas, não pode ser somente analisado com a explicação de que estão aumentando as denúncias, o avanço da extrema direita que vem ocorrendo nos últimos anos é o fenômeno responsável pelo crescimento de manifestações fascistas explícitas, o racismo é de fato, um típico comportamento de grupos do tipo.  São diversos os casos, como o de torcedores do time italiano Lazio, que manifestaram saudações pró Mussolini, na ocasião de um jogo, tiveram uma resposta a altura do Celtic, adversário, que brandou um estandarte com a imagem de Mussolini pendurado de cabeça para baixo (como de fato terminou o ditador fascista).

Torcedores do Celtic com estandarte anti-fascista

No que concerne o futebol brasileiro, não é diferente. No final da Libertadores que ocorreu este ano, entre River Plate e Flamengo, na cidade de Lima, torcedores argentinos fascistas imitam macacos de forma a ofender torcedores rubro negros, do alto de um prédio. Torcedores do flamengo, mostrando como se reage frente a ocasiões como essa, subiram para enfrentar os argentinos.

 

Dois torcedores do Flamengo (a esquerda de regata e outro de camisa do time) encaram torcedores do River (de boné e camisa na cabeça que fizeram gestos racistas.

Os jogador Taison e Dentinho, do Shakhtar Donetsk, foram também vítimas de insultos racistas em jogo contra o Dínamo de Kiev na última quinta (21). Ao devolver as agressões com gestos e ao ter chutado a bola em direção dos torcedores racistas, Taisson foi punido injustamente pela federação ucraniana, sendo expulso da partida.

O embate que se manifesta através do futebol é o mesmo que ocorre no Brasil e no mundo atualmente, a onda de extrema direita avança de forma a aumentar a perseguição a movimentos sociais, aos negros, ás mulheres, grupos LGBT e etc. As manifestações fascistoides não podem ser entendidas isoladamente como um fenômeno do futebol ou das torcidas organizadas, são fruto do mesmo movimento que deu corpo ao golpe de Estado no Brasil e deu origem ao governo Bolsonaro, além dos movimentos golpistas em diversos outros países pelo mundo.

Assim como mostraram os torcedores do Celtic, do Flamengo e como Taison mostrou, iniciativas fascistas não podem ser respondidas com braços cruzados, mas com resposta direta e na mesma moeda.