Mais repressão
A lei contra o “terrorismo doméstico” será usada contra o movimento negro norte-americano que, no último período, tem realizado violentas manifestações contra a violência policial
19nelsonWeb-superJumbo
Manifestação contra o regime serão consideradas como terrorismo | Foto: Reprodução
19nelsonWeb-superJumbo
Manifestação contra o regime serão consideradas como terrorismo | Foto: Reprodução

A invasão no Capitólio pela base de apoio do Trump contra as eleições fraudadas levantou uma polêmica em torno da legitimidade da manifestação e as punições para esses atos. Um setor da esquerda, a reboque da política imperialista, defende a total criminalização do movimento. E estão apoiando, sem nenhuma crítica e com comemoração, o banimento de Donald Trump das redes sociais.

Trump foi banido do Twitter, Facebook, Youtube, e até a rede social Parler, usada pelos trumpistas, foi banida de todos os aplicativos de vendas possíveis para ter acesso a rede. Tudo isso, alegando que Trump teria incitado a violência que resultou na invasão da sede do Congresso americano. As declarações do presidente norte-americano, não denotam literalmente essa incitação, mas mesmo que tivesse, censurar algo dito por uma liderança nas redes sociais aos seus apoiadores, claramente representa um regime ditatorial.

Manifestações anti-racistas e a lei contra terrorismo doméstico

No ano passado, grandes manifestações se levantaram contra as mortes de negros causadas pela polícia. A população revoltada ateou fogo em inúmeras delegacias, dezenas de carros e, claro, fez inúmeros chamados para a população participar da mobilização. A mesma prerrogativa usada para censurar Trump e punir os trumpistas será usada contra as lideranças dos movimentos populares e manifestantes de esquerda.

A lei contra o terrorismo doméstico será uma reedição da Lei Patriótica criada por Bush após o 11 de setembro. Biden se prepara para reprimir as manifestações dos mais oprimidos, pois, apesar da demagogia identitária com esses setores, ele não representa um governo progressista. Pelo contrário, com essas medidas tomadas contra Trump, podemos esperar um fechamento do regime no novo governo.

O  imperialismo tomará todas as medidas necessárias para controlar o regime político, se manifestações da extrema-direita já têm o potencial de desestabilizar o novo governo, imagina um levante revolucionário dos negros, dos trabalhadores, que são a maioria da população. Apoiar qualquer tipo de medida ditatorial como leis, censura contra a extrema-direita, que visam abrir uma prerrogativa para reprimir toda a população, é apoiar que o Estado, dominado pela política dos monopólios, controle os mais fundamentais direitos democráticos de toda a população. Nesse sentido, a esquerda e os movimentos sociais devem repudiar qualquer tipo de repressão ou de censura, seja  contra quem for, por parte da burguesia imperialista ou de seus monopólios.

Relacionadas
Send this to a friend