Prefeito da frente ampla
O prefeito golpista apoiado pela frente ampla em Alagoas tentou mudar o nome da praça em homenagem à guerreira quilombola, para fazer demagogia com os cristãos
JHC
Quando deputado votou favorável ao golpe de estado realizado pela direita | Foto: Reprodução
JHC
Quando deputado votou favorável ao golpe de estado realizado pela direita | Foto: Reprodução

No último dia 21/01, o prefeito bolsonarista João Henrique Caldas (PSB), filho do igualmente direitista João Caldas da Silva (PSC e ex-PSDB), sancionou a alteração do nome de uma praça localizada no bairro da Jatiúca, chamada Dandara dos Palmares – a liderança negra, guerreira e capoeirista que lutou contra a escravidão no período colonial e que se suicidou para não voltar à vida desumana de escrava – para  o nome Nossa Senhora de Rosa Mística.

A alteração foi proposta pelo vereador MDBista Luciano Marinho, que inclusive já foi acusado de compra de votos.

“As pessoas não conheciam a praça por Dandara dos Palmares, embora o nome já existisse. E por haver uma igreja católica bem ao lado, a comunidade da região já chamava de Nossa Senhora da Rosa Mística há anos. Diante de pedido da comunidade, protocolei o projeto”, afirmou o vereador golpista.

A mentira que o vereador coloca é escabrosa, o motivo da alteração do nome é muito claro. O nome de uma guerreira negra e quilombola incomoda a direita e os fundamentalistas que frequentam a igreja próxima à praça. Além disso, o simples fato do nome carregar o significado da luta dos negros contra a escravidão incomoda a burguesia e os políticos direitistas. Eles preferem utilizar um nome da santa para fazer demagogia com os cristãos e arrecadar mais apoio dos setores religiosos adeptos do cristianismo na próxima eleição.

O ocorrido demonstra bem o caráter ideológico reacionário e racista da burguesia alagoana, ligada até hoje com os esquemas coronelistas do século 20.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Ipea em 2020, a chance de um negro ser assassinado em Alagoas, comparado ao branco, é 17,2 vezes maior.

Vale lembrar que vários setores da esquerda pequeno burguesa apoiaram o prefeito golpista JHC seguindo a política farsesca da frente ampla. Onde vários setores esquerdistas o apoiaram contra o igualmente golpista e reacionário Alfredo Gaspar (MDB e atual secretário de segurança do estado de Alagoas), utilizando o argumento do mal menor, algo que se demonstrou totalmente contraditório para alguém que se considera de esquerda em uma eleição municipal onde os dois candidatos são bolsonaristas.

Também vale lembrar que durante o impeachment totalmente ilegal da presidenta democraticamente eleita, Dilma Rousseff (PT), João Henrique Caldas deu um dos 6 votos favoráveis ao golpe pela bancada federal de Alagoas, juntando-se aos setores mais reacionários do estado, como Pedro Vilela (PSDB), Cícero Almeida (MDB), Marx Beltrão (MDB), Maurício Quintella (PL) e até mesmo Arthur Lira (PP), o candidato de Bolsonaro para a presidência da Câmara. Algo que mostra que JHC nada se diferencia dos setores mais direitistas da direita alagoana.

Mas após a pressão de instituições como o Ineg (Instituto do Negro em Alagoas), o prefeito JHC voltou atrás e tornou sem efeito a sanção da lei que alterou o nome da Praça Dandara dos Palmares para Nossa senhora da Rosa Mística. Segundo a nota divulgada pela assessoria de JHC, o Projeto de Lei n° 7.437, de Luciano Marinho, e sancionado pelo próprio prefeito JHC, recebeu veto total. Assim, o logradouro continuará com o nome da liderança negra.

Relacionadas
Send this to a friend