Golpe na Bolívia
Após tentar dar um novo golpe e adiar as eleições no país, Jenine Añez anuncia que promulgará as lei convocando para 6 de setembro novas eleições no país
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
La Paz, 30 de dezembro de 2019. - O governo da Bolívia declarou na segunda-feira pessoas desagradáveis ​​à embaixadora mexicana, María Teresa Mercado; ao cargo de embaixada da Espanha, Cristina Borreguero e o cônsul desse país, Álvaro Fernández, além de um grupo de funcionários, que deu 72 horas para deixar o país, após os incidentes na sexta-feira passada.
Jeanine Añez | Foto: Reprodução

Após tentar um novo golpe contra a população, a golpista e fascista Jeanine Añez anunciou que irá promulgar a lei que convocará novas eleições para o dia 6 de setembro na Bolívia. A presidente golpista estava tentando adiar as eleições por conta do favoritismo do MAS, partido de Evo Morales que sofreu um golpe de estado no final do ano passado, no entanto, como todo bom golpista, Añez tentava fazer demagogia com a população dizendo que o adiamento se dava por conta da pandemia do coronavírus.

A decisão de promulgar a lei das eleições se dá logo após a Confederação Operária da Bolívia (COB) anunciar que iria promover uma insurreição caso as eleições não acontecessem.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas