HAMBURGUER_1
SHARE

Fortalecer o Bloco Vermelho contra o golpe do PSDB

Anterior
Próximo

01/07/1766

Jean-François, morto por não reverenciar procissão católica

O cavalheiro de La Barre se tornou um símbolo da perseguição brutal da Igreja Católica na época

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Emmanuel Ball: O Cavaleiro da Barra, estátua de corpo inteiro, erguida em 2001, 18º arrondissement, Montmartre, Paris, França. Inscrição no pedestal: “A tolerância universal é a maior das leis”. – David Monniaux

Publicidade

Em 1 de julho de 1766, há 255 anos, era torturado e executado Jean-François, o cavalheiro de La Barre, que se tornou um símbolo da campanha de censura da Igreja Católica. A dominação ideológica da Igreja firmou-se através de violência extrema, destruindo fisicamente as manifestações de diversas culturas e religiões.

O caso teve início com uma ocorrência de vandalismo em 9 de Agosto de 1765 ao crucifixo de madeira na Pont-Neuf em Abbeville, face a qual o bispo de Amiens promoveu a fúria dos fiéis e convocando-os a denunciar todos aqueles envolvidos no caso ao juiz civil, sob pena de excomunhão. Nesse período o catolicismo era então a religião do Estado da francês. 

A investigação sobre o vandalismo não teve frutos, mas os jovens Gaillard d’Etallonde, Jean-François de La Barre e Moisnel foram denunciados por não terem tirado os chapéus quando uma procissão passou. Ao vasculharem o quarto de La Barre, foram encontrados três livros proibidos, incluindo o Dicionário Filosófico (Dictionnaire philosophique) de Voltaire.

La Barre foi imediatamente torturado para confissão dos seus crimes perante a Igreja Católica. Depois, foi sentenciado pelo Parlement de Paris à nova tortura e decapitação, tendo ainda seu corpo atirado ao fogo juntamente com sua cópia do Dicionário Filosófico. O jovem nobre foi literalmente torturado e assassinado brutalmente por não ter tirado o chapéu para uma procissão. O próprio Voltaire tentou, sem sucesso, reverter a condenação de La Barre. A sentença só viria a ser derrubada em 15 de Novembro de 1794, pela Convenção Nacional durante a Revolução Francesa.

Em 3 de Setembro de 1905, foi edificado em Montmartre um monumento em homenagem a La Barre, exatamente em frente a Basílica do Sagrado Coração. A estátua tinha a seguinte inscrição. “Ao Cavalheiro de La Barre, supliciado aos 19 anos de idade em 1º de Julho de 1766, por não saudar uma procissão”. Na inauguração teriam, comparecido cerca de 15 mil defensores da separação entre Igreja e Estado,  posteriormente por muitos anos e por muitos anos, ocorreu no local o evento intitulado “Manifestação La Barre”, com simpatizantes das escolas laicas.

No ano de 1926, a estátua foi removida para a praça Nadar, retirando-a das vistas dos peregrinos, uma clara ação para esconder a história da Igreja. Infelizmente, a homenagem a La Barre, filósofos, humanistas e outras vítimas da censura não tiveram a mesma sorte da arte sacra consagrada aos santos, reis e rainhas e foram derretidas durante o regime Vichy para aproveitamento do metal.

Em 1997 o Conselho Municipal do 18º Distrito de Paris aprovou reerguer a estátua de La Barre no seu local original.

O martírio de La Barre não foi um caso isolado, sendo uma atuação comum dos estados religiosos. Essa atuação era uma metodologia bárbara, que veio a ser retomada em larga escala pelo nazismo, sendo bastante difundida pela extrema direita.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.