Campeão em acidentes
Trabalhadores tiveram que ser socorridos em hospital, com dificuldade de respirar. O vazamento é resultado das péssimas condições de trabalho no JBS
vazamento de amônia no jbs de rondonia
Evacuação do frigorifico JBS de Rondônia | Foto: Reprodução
vazamento de amônia no jbs de rondonia
Evacuação do frigorifico JBS de Rondônia | Foto: Reprodução

Na última segunda-feira (15) ocorreu um vazamento de amônia no Frigorífico JBS de Rondônia, onde a fábrica teve que ser evacuada e 22 trabalhadores tiveram que ser socorridos e levados ao hospital.

A ocorrência se deu na fábrica da cidade de Pimenta Bueno, município do interior de estado de Rondônia e, os 22 trabalhadores tiveram que ser levados através de ambulância, pelo corpo de bombeiros da cidade até o Hospital Municipal Ana Neta e lá após serem atendidos foram liberados. De acordo com a direção do hospital, os colaboradores se queixavam de dificuldade para respirar.

A produção do frigorífico foi suspensa e os operários foram dispensados, mas somente até a vistoria do Corpo de Bombeiros, e descontaminação do local, apesar da gravidade que é o vazamento de amônia.

O gás amônia, quando não mata deixa sequelas irreparáveis

Conforme a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), “os efeitos adversos à saúde humana: O Amoníaco, devido à liberação de Amônia, pode ser sufocante e de extrema irritação aos olhos, garganta e trato respiratório. Dependendo do tempo e nível de exposição, podem ocorrer efeitos que vão de suaves irritações às severas lesões no corpo, devido a sua ação cáustica alcalina. Exposições às altas concentrações – a partir de 2500ppm por um período de 30 min. – pode ser fatal. O contato do Amoníaco pode causar severas queimaduras nos olhos e pele. Extensas queimaduras podem levar à morte. Principais partes atingidas: Olhos, pele e sistema respiratório”.

A Fundação Jorge Duprat Figueiredo (Fundacentro), bem como, o próprio Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), em varias ocasiões já relataram sobre os inúmeros casos de sequelas oriundas do envenenamento com o gás amônia.

Em um frigorífico localizado em São Caetano do Sul, cidade que faz parte do Grande ABC paulista, o Cardeal, um funcionários da manutenção foi obrigado a introduzir nos globos oculares válvulas, para evitar o lacrimejamento, no entanto até hoje à situação de sua visão é prejudicada devido ao constante contato que teve com o gás dentro da fábrica.

Apesar disso os donos do grupo JBS/Friboi sempre têm um comunicado pronto que é: “a JBS informa que na manhã desta segunda-feira (25) foi registrado vazamento de amônia na unidade de Pimenta Bueno – RO. Todos os procedimentos de segurança foram seguidos e a unidade foi rapidamente evacuada”.

Os frigoríficos pertencentes ao grupo JBS/Friboi são os principais responsáveis pelos inúmeros acidentes registrados anualmente no país. Na pandemia do covid-19, sempre teve na linha de frente, quanto aos inúmeros casos de contaminação de trabalhadores e sua argumentação, a exemplo do caso do vazamento de amônia, mas na imensa quantidade de acidentes, é de que segue todas as normas de Organização Mundial de Saúde (OMS), ou seja, sempre há uma argumentação diante da situação catastrófica que deixa seus funcionários, os quais chamam de “colaboradores”. Na realidade não dão a mínima para os trabalhadores que, consideram um objeto qualquer que, quando estraga, joga-se fora, mas que as contas bancárias aumentem cada vez mais.

Relacionadas
Send this to a friend