JBS/Friboi, mais de cem mil trabalhadores e 34 mil processos trabalhistas ao ano

marfrig - 02-05

O setor industrial dos frigoríficos e abatedouros, bovinos, suínos e aves estão entre os primeiros em relação aos acidentes de trabalho e doenças ocupacionais, os frigoríficos, na realidade é o 2º colocado, em determinados estados, como o do Mato Grosso do Sul se desponta em primeiro.

Tanto a BRF – Brasil Foods, Marfrig, Minerva, etc. acumulam uma enorme quantidade de acidentes chegando a envolver mais de 20% de seu quadro de funcionários durante o ano, desde os pequenos cortes quanto aos que leva o trabalhador ao afastamento temporário ou definitivo, como os envolvendo as doenças ocupacionais, onde os operários acabam tendo seus membros atrofiados, como braço, perna, ombros e mesmo membros do corpo decepados… enfim.
Dentre estas indústrias, também temos a JBS/Friboi que é mais conhecida como a campeã dos acidentes e doenças ocupacionais, neste grupo, aos quais estão relacionados vários outros frigoríficos, como a Seara alimentos, por exemplo, consegue, em apenas um único ano, ter contra si mais de 34 mil ações. Para os patrões do JBS/Friboi, onde as condições de trabalho são das piores possíveis, em suas fábricas não existem acidentes de trabalho e nem mesmo doenças ocupacionais, pois os setores de recursos humanos se negam terminantemente a fornecerem o Comunicado de Acidentes do Trabalho (CAT).

O Brasil estima-se que há cerca de quatro mil e oitocentos frigoríficos, levando-se em conta que somente esses quatro grupos de indústrias (BRF – Brasil Foods, Marfrig, Minerva e JBS/Friboi) têm quase meio milhão de trabalhadores, a metade dos funcionários existentes neste setor e somente eles têm cem mil funcionários acidentados, incapacitados de exercer qualquer atividade, ou seja, sem poder trabalhar pelo resto de suas vidas, pode se dizer, tranquilamente que, ao todo, existem um número próximo de duzentos mil e como não poderia deixar de ser, parcela desses operários já não estão aqui, pois foram devorados por alguma máquina sem manutenção ou sistemas de proteção, ou seja pela total negligência dos patrões que, para manter seus lucros não se preocupam minimamente com as condições de segurança e proteção, ou seja, não existem seres humanos, mas simples peças de reposição que podem ser substituídas quando eles bem quiserem.