Trabalhadores em frigoríficos
Apesar de haver mais de 5 mil trabalhadores contaminados em suas fábricas, os donos da JBS/Friboi dizem estarem preocupados com os trabalhadores
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
jbs - friboi - 10-07-2020
Totem de propaganda da JBSqFriboi | Foto: Reprodução

Mais uma vez, um dos frigoríficos do grupo JBS/Friboi aparece nas noticias de jornais de que foi condenada a cumprir determinações referente às condições de trabalhado, no que se refere à saúde e segurança dos operários.

Desta vez foi mais um abatedouro de Mato Grosso, na cidade de Barra do Garças.

Devido às inúmeras denuncias dos trabalhadores, onde relataram haver vários trabalhadores contaminados e, desta forma o Ministério Público do Trabalho (MPT) constatou em fiscalização que, em apenas três meses, quando foram registrados 14 casos de contaminação pelo Covid-19, esse numero subiu em mais de mais de 20 vezes até o dia 15 de outubro. Hoje, os casos estão a 20% do total de trabalhadores existentes no frigorífico, cuja quantidade de é de 1726 funcionários.

Como foi realizado nas oportunidades em que as empresas do grupo JBS foram autuada, e foi muitas vezes, o juiz Luis Fernando Galvagni determinou que o frigorífico garanta a distância mínima de 1,5 metro entre as pessoas nas áreas interna e externa da unidade, conforme definido em decretos dos governos estadual e municipal.

Uma importante observação quanto à atitude genocida dos patrões da JBS, o governo, em conjunto com os patrões elaborou toda uma serie de normas para o funcionamento nos frigoríficos, as quais não valem de nada quanto à proteção dos trabalhadores diante das péssimas condições de trabalho impostas aos operários e, o distanciamento dos trabalhadores, que ficam praticamente colados um ao outro, foi à primeira coisa que as normas feitas em conjunto, entre o governo e os patrões ignoraram. Ou seja, algo que não vale de nada, mas que fez com que mais de 200 mil trabalhadores já fossem contaminados e, vem aumentando cada vez mais de maneira assustadora.

A contribuição dos patrões genocidas na contaminação dos trabalhadores

Com bem mais do que a imprensa venal vem apregoando de que existem 23 unidades da JBS onde há contaminação de operários e falaciosa, pois, diante do número de fábricas espalhadas por todo o Brasil, em um levantamento rápido, feito por esse Diário, verificou-se que, em apenas sete estados da União, Rio grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato grosso, e Rondônia, já apresentam esse numero, aqui, por exemplo, onde temos um governo do golpista PSDB, o estado com o maior número de mortos e contaminados pelo coronavírus, apesar de ter conseguido a alcunha de o “cientista”, no maior estado do país dirigido pelo Doria, não há um único caso sequer, envolvendo o grupo JBSA/Friboi, onde inclusive tem a matriz do grupo.

Apesar da situação, onde mais de 5.000 trabalhadores já foram contaminados pelos genocidas do JBS, esses patrões diz que a preocupação deles é no bem estar dos trabalhadores, um cinismo sem precedentes.

Somente com a mobilização dos trabalhadores é que será imposta uma derrota aos patrões e, essa mobilização deverá culminar em uma greve nacional dos trabalhadores em frigoríficos, como forma de garantir a vida.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas