“Jamais assistiria à tomada de posse de um fascista”: Venezuela de Maduro enfrenta o ilegítimo Bolsonaro

FILE PHOTO: Venezuela's President Nicolas Maduro talks next to Venezuela's Vice President Jorge Arreaza during a Council of Ministers meeting at Miraflores Palace in Caracas

Da redação – O ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, publicou hoje (16) no Twitter documentos diplomáticos que mostram que a embaixada do Brasil em Caracas enviou convite do governo brasileiro ao presidente venezuelano Nicolás Maduro, para que este comparecesse à posse de Jair Bolsonaro, eleito de maneira fraudulenta nas últimas eleições e, portanto, presidente ilegítimo.

“Aqui podem ler as duas notas diplomáticas oficiais enviadas pelas autoridades brasileiras convidando o governo venezuelano a assistir à tomada de posse de Jair Bolsonaro”, escreveu Arreaza, adicionando duas páginas de documentação.

Pode-se ler no convite da embaixada brasileira o seguinte trecho: “Nesse sentido, a Embaixada tem a honra de transmitir o convite do Governo brasileiro a Sua Excelência, o Senhor NICOLÁS MADURO MOROS, presidente da República Bolivariana da Venezuela, a assistir à cerimônia de tomada de posse na capital brasileira.”

A postagem foi uma resposta à declaração do futuro ministro de Relações Exteriores do Brasil, o alucinado lacaio do governo de Donald Trump, Ernesto Araújo, que havia afirmado mais cedo que Maduro não foi convidado à cerimônia de posse de Bolsonaro, em 1º de janeiro.

Para finalizar de maneira categórica o repúdio do governo venezuelano ao governo ilegítimo e de extrema-direita de Bolsonaro, Arreaza anexou um despacho da chancelaria da Venezuela datado de 12 de dezembro que comprova a corajosa atitude de Maduro de enfrentar o governo golpista brasileiro, não comparecendo à posse.

“(…) se informa ao Ministério de Relações Exteriores da República Federativa do Brasil, que o Governo Socialista, Revolucionário e Livre da Venezuela não assistiria jamais à tomada de posse de um presidente que é expressão da intolerância, do fascismo e da entrega a interesses contrários à integração latino-americana e caribenha”, diz a nota oficial do ministério venezuelano.

No comentário sobre esse último documento, Arreaza escreveu: “O Presidente Nicolás Maduro jamais considerou assistir à posse de um governo como o de Jair Bolsonaro. Esta é a firme resposta oficial que enviamos a Ernesto Araújo através do Itamaraty no último dia 12 de dezembro.”