Siga o DCO nas redes sociais

Já está em marcha a campanha contra a Seleção Brasileira

Se aproxima a Copa do Mundo, a ser realizada na Rússia, e já começa a campanha, da esquerda e da direita, contra a Seleção Brasileira e seus jogadores. A esquerda acusa a seleção de ser “da Globo”, da CBF. A direita, bem, a direita odeia qualquer manifestação popular, e o futebol em especial.

Em primeiro lugar, precisa verificar se a Globo e a CBF querem que o Brasil vença alguma coisa, ou se, na realidade, querem acabar com o futebol brasileiro.

Em 2014, por exemplo, havia todo um complô de todos os setores para conseguir a derrota da Seleção, pois se o Brasil ganhasse iria facilitar a vitória de Dilma Rousseff, nas eleições.

Claro que se o Brasil fosse campeão em 2o14 o golpe sofreria mais dificuldades. A outra Copa do Mundo realizada no Brasil, em 1950, foi parecida com essa, pois o Brasil perdeu e Getúlio Vargas foi derrubado em 1954.

É claro que o 7×1 da copa de 2014 foi resultado de uma enorme pressão para derrotar o país e seu futebol e está, agora mais que nunca, que era parte essencial do golpe. A esquerda colaborou para essa derrota, fazendo eco para a campanha da burguesia; fazendo campanha contra o Futebol, contra a Seleção, enfim, “não vai ter copa”.

A copa de 2018 já mostra que será realizada em meio a uma crise gigantesca. Existe uma luta contra a Rússia, uma outra pressão para que o Brasil não vença a copa, pois afeta as relações comerciais, etc.

A seleção tende a ser o resultado da política que está em andamento. Futebol é esporte popular, e a luta da direita é contra que o Brasil vença. Na copa de 2010, por exemplo, foi lançado um estudo dizendo que as empresas queriam que Itália vencesse a Copa, para dar mais dinheiro para as empresas desportivas daquele país.

A burguesia brasileira não gosta de futebol pois é manifestação do povo, ela e o imperialismo são os principais adversários do Brasil nesta Copa.