Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
ustra
|

Da redação – A justiça golpista, na posição do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJS), em julgamento da 13ª Câmara Extraordinária Cível, extinguiu nesta quarta-feira (17) o processo que condenou o falecido coronel do Exército, Carlos Alberto Brilhante Ustra, a pagar indenização de R$ 100 mil para a família do jornalista Luiz Eduardo Merlino,  que foi torturado e morto pelo fascista nos porões da Ditadura Militar.

Como o torturador morreu em 2015, sua pena seria direcionada para sua família pagar a indenização. “É uma Justiça que tolera a tortura e contribui para que o sistema continue”, afirmou indignada a viúva Ângela Mendes de Almeida. “É ultrajante e embaraçoso, a Justiça sendo conivente com a tortura”, denunciou.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas