Títere do imperialismo volta à Venezuela: governo precisa mandar prender Guaidó

Guido

Da redação – O autoproclamado presidente da Venezuela e líder da oposição, Juan Guaidó, retornou segunda-feira ao país de origem. O golpista chegou ao Aeroporto Internacional Simón Bolívar, em Maiquetía, no estado de Vargas, a cerca de 45 minutos da capital venezuelana, segundo noticia do canal RT.

Em sua chegada, Guaidó afirmou em frente aos repórteres que conhece os “riscos” que estava enfrentando: “Somos fortes, seguimos em frente”.

Algum tempo depois, o agente dos EUA escreveu um tweet informando que ele havia passado pelos controles de imigração e que ele iria continuar sua jornada, pedindo ainda que seus seguidores demonstrem apoio pelas redes.

O golpista, capacho dos EUA, foi alertado pelo governo que caso voltasse seria preso, e assim, as tensões devem aumentar novamente nesta segunda-feira (4).

A imprensa internacional, em campanha aberta contra Maduro, afirma que há manifestações em várias cidades para acompanhar sua chegada, o que deve representar algumas dezenas de agentes externos como em outras oportunidades. Esses, com certeza são os empresários que sabotam a alimentação do povo, escondendo, enterrando comida e indivíduos dessa estirpe golpista. 

O governo Maduro precisa junto ao povo prender Guaidó e todos seus seguidores. A base do governo é a esmagadora maioria do povo que deve ser convocado à agir contra os EUA imediatamente e de forma enérgica. O que o imperialismo quer é que Maduro tome ações no sentido de acabar com essa situação para uma possível intervenção.