Funcionários em greve
No segundo dia de greve, os funcionários da concessionária pública do serviço de transporte de ônibus do Município de Itanhaém, reclamam salários e benefícios atrasados
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
itanhaem
Motoristas paralisados na garagem da empresa. | https://motoristafm.com/noticia/380077/motoristas-de-onibus-atrasam-saida-da-garagem-por-falta-de-pagamento-em-itanhaem

A greve chegou para os trabalhadores do transporte público de Itanhaém, cidade do litoral paulista. Eles avançaram do primeiro para o segundo dia, e estão reclamando a falta de pagamento integral de salários e benefícios.

Com grande êxito, a greve alcançou 100% de paralisação dos funcionários da empresa Litoral Sul, que é uma concessionária do serviço público junto à prefeitura do município. Por conta da paralisação, a empresa não teve alternativa senão suspender o serviço.

A reclamação é pertinente já que a empresa vem pagando fracionado, quando paga, os valores devidos a título de remuneração do pessoal, incluindo cestas básicas, e vale-refeição. E o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e Região (Sindrod), levantou a greve para cobrar a definição da situação, e afirmam que os trabalhadores manterão a greve enquanto não forem pagos todos os atrasados, ou o que for definido na justiça. 

É o que diz José Alberto Torres Simões, Vice-Presidente do Sindrod: “Até o momento, o sindicato não foi notificado de nenhuma decisão ou dos pagamentos”. 

Por sua vez, a prefeitura vem a público para dar uma satisfação e dizer que entrou na justiça para obrigar a empresa a prestar o serviço para o qual foi contratada. Mas ela, a empresa, responde à prefeitura que não tem como pagar e que estão sem dinheiro. 

O Sindrod, no meio dessa briga, diz que está parado na porta da empresa e que a turma, 150 funcionários, só trabalha se receber. No total, a empresa possui um frota com 36 veículo, mas, por conta da pandemia, somente 14 estão circulando.

Jorge Eduardo dos Santos, o procurador-geral de Itanhaém, disse em entrevista na mídia, que a prefeitura foi notificada sobre a greve dos trabalhadores,  e, mediante isso,  tomou as medidas jurídicas que garantam judicialmente a manutenção de 40% da frota em horários normais, e 80% em horários de pico.

As empresas estão acostumadas ao fornecimento de transporte com os ônibus lotados, e triplicando o lucro com essas péssimas condições.  Com a pandemia, e a necessidade do distanciamento como medida de precaução, os ônibus não só não podem andar lotados, como devem limitar o número de usuários por ônibus, o que faz com que, em vez da quantidade normal de ônibus, eles tenham que dobrar a frota, e contratar pessoal para isso, o que, decididamente, essas empresas não querem fazer. Eles, em vez disso, preferem desistir de fazer o procedimento correto, e da concessão, já que não vão mais ver lucro, não pelo menos no curto prazo, e ainda terão que investir para suprir as necessidades impostas pela pandemia.

O serviço público é terceirizado com a concessão, quando deveria ser estatizado. Com isso, a população não tinha e não vai ter um serviço decente, porque tudo faz parte de uma regime de governo neoliberal, que entrega ao mercado, e as empresa privadas, a tarefa de explorar o serviço público, no caso o transporte, numa trama de corrupção onde só o que interessa é o lucro, e sem nenhum consideração com o usuário dele, a população.

O sindicato não pode esperar a decisão do judiciário, nem um beneplácito da prefeitura. Ocupar a garagem e assumir o controle da empresa é a única alternativa que pode tirar o trabalhador da mira do calote que ambas estão preparando, que, como de costume, contará com a conivência do poder público, o que inclui também o judiciário.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas