Extrema-direita avança
Extrema-direita avança na Itália após aprovação de novo estatuto
33932151730_093428717c_k
Matteo Salvini, líder da Liga. Foto: © European Union 2017 - European Parliament |

Da redação – No último sábado (21), o partido italiano Liga Norte – de características abertamente fascistas – aprovou em um congresso extraordinário realizado em Milão, um novo estatuto. De agora em diante, os tentáculos da extrema-direita terão um alcance ainda maior, pois a legenda poderá operar em nível nacional e terá flexibilidade para concorrer em eleições de âmbitos diversos.

Através desse congresso extraordinário, a Liga Norte modificou o estatuto da legenda fundada em 1991 por Umberto Bossi e cuja última atualização ocorrera recentemente, em 2015. Nesse sentido, como explicitou Roberto Calderoli, senador da Liga Norte, a legenda passará a ser “nacional”. “Sei que algumas pessoas têm nostalgia da Liga Norte. Mas, se quisermos mudar as coisas, temos que conquistar os votos das regiões centro e sul do país também”, disse. “Somos e continuaremos sendo um partido popular, que está ao lado do povo, motivo pelo qual tantas pessoas votam na Liga. Mas o estatuto atual não responde mais às exigências do movimento”, complementou.

O evento, porém, não poderia deixar de contar com a presença de um dos epígonos de Benito Mussolini. Matteo Salvini, líder da Liga Norte, em discurso no Hotel Da Vinci, disse: “hoje é o início de um percurso belíssimo. É o batismo de um movimento que tem a ambição de relançar a Itália no mundo.”

Salvini, por conseguinte, foi contemplado com uma nítida campanha e apoio por parte de Calderoli, o qual complementou o discurso: “temos a necessidade de sermos duas pessoas jurídicas diversas, ou seja, teremos a Liga Norte e a Liga Salvini Premier”.

Ademais, dentre as principais mudanças no estatuto, está a possibilidade do uso do símbolo da Liga (o guerreiro Alberto da Giussano) para outros movimentos políticos. Em suma, podemos concluir que a legenda “Liga Salvini Premier” terá o direito de usar o símbolo antigo da Liga Norte em pleitos como as eleições europeias.

Em meio à festividade da extrema-direita no Hotel Da Vinci, todavia, o movimento dos “Sardinhas” organizou um protesto que reuniu cerca de 60 manifestantes carregando faixas e cartazes contra a extrema-direita. Esse movimento vem realizando atos com dezenas de milhares de pessoas nas últimas semanas em todo o território nacional. Esse fato, portanto, denuncia o caráter antipopular da Liga Norte e expõe o confronto crescente entre a extrema-direita capitaneada por Salvini e as massas populares. Nesse sentido, por mais que a extrema-direita continue avançando e se desenvolvendo, há, notoriamente, um crescente movimento espontâneo antifascista.

Relacionadas