Repressão contra o povo
O “lockdown” que a “esquerda” tanto apoia, vai se mostrar na prática a quem realmente serve, com a situação de luta politica contra a ditadura instalada no Brasil que se acentua
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
cavalaria pará
Praça de concentração do ato. Ao lado do mercado São Brás | Foto: Reprodução Gizelle Freitas

No domingo (7), manifestações anti-fascistas e pelo fora Bolsonaro foram impedidas de acontecer na capital do estado do Pará, Belém. A concentração do ato estava marcada para acontecer no Bairro São Brás, mais especificamente no mercado de São Brás no centro da cidade. Ao chegarem os ativistas e militantes de esquerda se depararam com um verdadeiro aparato de guerra organizado pelas policia militar e civil para impedir que os manifestantes pudessem se reunir e manifestar seu repúdio contra a situação catastrófica que toma conta do país.

Além disso, a PM prendeu mais de 100 pessoas, com a desculpa de que estavam cumprindo a lei do decreto emitido pelo governador do Pará, o bolsonarista Helder Barbalho do MDB. Enquanto isso, os apoiadores de Bolsonaro eram simplesmente orientados a voltar para suas casas. Segundo o governador, está proibida a aglomeração com mais de dez pessoas nas ruas da capital, medida que está sendo usada no combate ao coronavírus.

A Secretaria de Estado de Segurança Publica (Segup) informou no final de semana que o Pará estava ocupando a 20ª posição no ranking nacional de isolamento social, a pior já registrada, a média no estado foi de 39%. O que comprova que a medida arbitrária de impor uma quarentena forçada na população não funciona, e serve a interesses para além de combater a pandemia, é uma espécie de controlar a insurreição popular que se acentua diariamente em todo país.

O que a imprensa burguesa chama de “lockdown”  é uma verdadeira medida ditatorial e que havia sido implantado nas cidades do Pará com o maior número de mortes e contagio do Covid-19 desde 7 de maio e foi até o dia 25. Nesta segunda feira (8) o estado registrou 56032 casos confirmados e 3772 óbitos. Lembrando que estes são os números oficiais, e que como já vem sendo denunciado são sub notificados e que os casos de coronavírus provavelmente são muito maiores em praticamente todo o país.

O que é engraçado nessa situação é que mesmo diante do aumento significativo de contagio e mortes pelo coronavírus no Pará, o governador atendendo o interesse dos capitalistas e organizando o genocídio do povo pobre e preto, anunciou no dia 29 de maio um plano de retomada da economia nas atividades comerciais nas regiões metropolitanas do estado. Em Belém, Marajó e a região do Araguaia já poderia abrir os shoppings centers, igrejas, salões de beleza, e até o comércio varejista, provando o quanto Helder Barbalho está “preocupado” com as aglomerações nas cidades do estado.

É interessante que a medida “lockdown”  que a esquerda pequeno burguesa acredita ser uma das melhores formas de conter a propagação do coronavírus, não combate efetivamente o vírus, mas o que prevalece é o aumento da repressão do estado contra a população. As pessoas que tem que trabalhar vão continuar trabalhando, é só comprovarem, e continuar circulando pelas ruas, pois são forçados a saírem de suas casas para alimentar os lucros dos patrões e conseguir sobreviver em meio a pandemia.

No entanto, uma vez esse tipo de medida é adotada, o direito de ir e vir é extinto e se tem praticamente um estado de sítio. O poder executivo do estado passa a adotar o decreto e aplica-lo quando bem entender. No caso de domingo (7) nas manifestações contra os governos direitistas, a situação pandêmica e a crise econômica, o bosonarista Helder Barbalho alegando crise sanitária impôs sobre os manifestantes um verdadeiro cenário de ditadura e levou 112  jovens para a prisão. O lockdown que a “esquerda” tanto defende é isso daí, é reprimir o povo. A esquerda jamais pode apoiar e pedir medidas repressivas, pois elas sempre se voltam e são usadas contra o próprio povo.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas