“Pacificação” no Oriente Médio
Após acordo com os Emirados Árabes Unidos, Israel suspende temporariamente avanço sobre território palestino.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
cisjordania
Assentamento israelense em Efrat, Cisjordania em 28/02/2020 | Foto: Ronen Zvulun / Reuters

Nesta quinta-feira (13), Israel e Emirados Árabes Unidos anunciaram que chegaram a um acordo que normaliza as relações diplomáticas. As negociações tiveram participação do presidente dos EUA, Donald Trump.

Uma declaração conjunta dos líderes dos três países diz: “Este avanço diplomático histórico avançará a paz na região do Oriente Médio e é um testemunho da ousada diplomacia e visão dos três líderes e da coragem dos Emirados Árabes Unidos e de Israel para traçar um novo caminho que desbloqueará um grande potencial na região. Os três países terão muitos desafios em comum e terão benefícios mútuos com o acordo histórico de hoje.”

Diante do acordo com o país árabe, Israel anunciou a suspensão da anexação dos territórios da Cisjordânia. “Como resultado desse avanço diplomático e da solicitação do presidente Trump com o apoio dos Emirados Árabes Unidos, Israel suspenderá a declaração de soberania sobre as áreas delineadas no [documento] ‘Visão para a Paz do Presidente’ e agora concentrará seus esforços na ampliação dos laços com outros países do mundo árabe e muçulmano ”, destacou.

Após o anúncio, o primeiro-ministro israelense escreveu no Twitter que hoje era um “dia histórico, porém indicou que a suspensão era temporária, não havendo alterações nas suas intenções a este respeito, acrescentando que espera que a anexação seja feita com coordenação de Washington.

Hamas e Fatah, dois dos principais movimentos palestinos, rejeitaram o acordo. O porta-voz do Hamas, Fawzi Barhoum, disse: “Este anúncio é uma recompensa pelos crimes da ocupação israelense”.

Já Abbas Zaki, membro do comitê central do Fatah, disse que o acordo mostra “a dependência absoluta dos inimigos da nação árabe.” E que “a medida é equivalente à “eliminação total de todas as decisões das cúpulas das nações árabes”. O presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, convocou uma reunião de emergência das autoridades palestinas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas