Crise alimentada pelos EUA
Teerã nega acusação de tomar reféns e adverte Seul que propaganda será “infrutífera” e só irá atrapalhar o andamento das negociações

Por: Redação do Diário Causa Operária

O Irã advertiu a Coreia do Sul para não politizar a apreensão feita pelo Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do navio sul-coreano, segundo noticiou a agência Reuters citando a estatal do país persa. Segundo a agência de notícias, o governo iraniano continua pressionando o país asiático para que libere fundos pertencentes ao país porém congelados na Coreia do Sul após sanções dos EUA, com valor de US$7 bilhões.

O vice-chanceler iraniano, Mohammad Abbas Araqchi, disse que Seul “deveria abster-se de politizar a questão, de propaganda infrutífera e permitir que o processo judicial prossiga”, acrescentando que “por cerca de dois anos e meio, os bancos congelaram os fundos do Irã. Isto não é aceitável. Em nossa opinião, isso se deve mais à falta de vontade política de Seul do que às sanções dos EUA”.

Segundo a imprensa, a declaração foi dada diretamente ao vice-ministro das Relações Exteriores da Coreia do Sul, Choi Jong-kun, que está no Irã desde domingo (10) para negociar uma saída para a situação.

Há uma semana, o petroleiro sul-coreano MT Hankuk Chemi foi apreendido por militares iranianos no estreito de Ormuz, no golfo Pérsico. O país nega que a apreensão do petroleiro e dos 20 membros da tripulação seja uma tomada de reféns, afirmando que é o governo da Coreia do Sul quem está mantendo “reféns” US$7 bilhões do Irã.

Send this to a friend