Irã rebate EUA e os denunciam por “patrocinar o terrorismo”

iranian-revolutionary-guards

Da redação – Após o governo Trump classificar a Guarda Revolucionária Iraniana (IRGC) como grupo terrorista, nesta segunda-feira (8), o Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã declarou que os EUA são “um país que patrocina o terrorismo”.

A ação de incluir o corpo militar de elite do Irã na lista de organizações terroristas estrangeiras faz parte do longo histórico de pressão do imperialismo norte-americano contra o país, quase um ano após o anúncio da saída dos EUA do acordo nuclear firmado durante o governo de Barack Obama. Após impor sanções para prejudicar a economia iraniana, o governo americano agora tenta impedir que empresas e bancos realizem transações financeiras relevantes com a IRGC.

Washington acusa as empresas que fazem acordos com Irã de financiarem o terrorismo, quando os próprios são os maiores financiadores de grupos que eles mesmos consideram como “terroristas” no Oriente Médio. Treinaram e forneceram armas a grupos como Al-Qaeda e Estado Islâmico quando era de interesse desestabilizar governos na região, como o governo sírio de Bashar al-Assad.

É a primeira vez que os norte-americanos consideram militares de uma nação estrangeira formalmente como grupo terrorista, o que demonstra a escalada das ações imperialistas contra os países com governos nacionalistas que se opõem ao imperialismo, ações que não diminuíram após o fracasso imperialista na Síria.