Siga o DCO nas redes sociais

Recado ao imperialismo
Irã injetará gás de urânio em mais de mil centrífugas
Governo iraniano reafirma sua posição na defesa da soberania do país na questão nuclear
Presidente do Irã, Hassan Rouhani
Recado ao imperialismo
Irã injetará gás de urânio em mais de mil centrífugas
Governo iraniano reafirma sua posição na defesa da soberania do país na questão nuclear
Presidente iraniano afirma que reduzirá compromissos caso não seja respeitado
Presidente do Irã, Hassan Rouhani
Presidente iraniano afirma que reduzirá compromissos caso não seja respeitado

Em meio à escalada de tensões entre o imperialismo estadunidense e o Irã, Hassan Rouhani, presidente do Irã, anunciou que o governo injetará gás de urânio em mais de mil centrífugas. A afirmação, feita nessa terça-feira (5), estabelece novos rumos, visto que, de acordo com o acordo nuclear de 2015, as centrífugas deveriam estar vazias.

O urânio será injetado em 1.044 máquinas de tipo IR-1, que ficam em Fordo, cerca de 180 km de Teerã,. O Irã, no entanto, só gozava de autorização para manter as centrífugas desse tipo, em Natanz, cidade que fica cerca de 315 km ao sul da capital.

“A partir de amanhã [quarta-feira], começaremos a injetar gás em Fordo”, afirmou Rouhani. Ainda segundo o presidente iraniano, essa seria a “quarta etapa” do plano de redução de compromissos na área nuclear iniciado em maio, logo após o abandono do acordo de Viena, por parte dos EUA.

Ademais, de acordo com o chefe do programa nuclear iraniano, Ali, Akbar Salehi, os iranianos trabalham em protótipos de uma outra centrífuga, a IR-9, bem mais avançadas que a IR-6.

A comunidade internacional tem, por sua vez, feito ressalvas quanto ao posicionamento do governo iraniano que, em todo caso, busca proteger-se da política imperialista capitaneada pelos Estados Unidos. Agnès Von der Muhll, porta-voz do ministério de Relações Exteriores da França, afirmara: “Estamos aguardando o próximo relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), sobre os anúncios e as ações do Irã”. Ademais, “o anúncio do Irã no dia 5 de novembro para aumentar sua capacidade de enriquecimento vai contra o acordo de Viena, que limita estritamente as atividades nessa área”, complementou.

Resultado de imagem para guarda revolucionária do irã
Protestos em apoio ao governo, no Irã

Em contrapartida, o presidente iraniano apresentou um novo prazo de dois meses aos Estados signatários do acordo de Viena (França, Rússia, Reino Unido, China e Alemanha) para que se apresente uma resposta aos pedidos do governo iraniano. Caso não haja uma resposta, o Irã reduzirá ainda mais seu compromisso com o acordo.

Nas condições em que o Irã se encontra, é nítido que o avanço do governo iraniano em relação ao enriquecimento de urânio, expressa uma resposta ao cerco promovido pelos EUA e o imperialismo de conjunto, na intenção de colocar em prática uma política criminosa – que atinge o povo inteiro para minar o governo iraniano e liquidar o país para sua posterior intervenção imperialista. Diante da política genocida do imperialismo, o Irã busca se defender para assegurar sua soberania e evitar que o povo seja entregue às aves de rapina do imperialismo.