Mais um ataque cibernético
Invasão dos bolsonaristas impede uma discussão democrática sobre o anticomunismo na Universidade Estadual de Piauí
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
uespi
Universidade Estadual do Piauí (Uespi), do campus de Oeiras | Foto: Mais Oeiras

Ocorreu na palestra virtual da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), do campus Oeiras, ataques fascistas contra os professores e alunos. Os invasores atrapalharam o curso xingando, exibindo filmes e imagens pornográficas. Qual foi o motivo de tanta histeria dos bolsonaristas? Simplesmente porque o tema da palestra era “Anticomunismo Brasileiro: passado e presente”.

A Uespi, na sua nota de repúdio, comentou que “ataques e invasões cibernéticas, infelizmente, estão acontecendo em outras instituições de ensino no Brasil e a reação deve ser a mesma – indignação e registro de uma denúncia na Delegacia Especializada em crimes virtuais.”

É preciso salientar que a Uespi não deve ter confiança alguma desta delegacia. Isso porque os órgãos repressores do Estado Burguês são os mesmos que sustentam o Bolsonaro, como foi visto a atuação sistemática da PM para defender os bolsonaristas em manifestações pró-Bolsonaro e intimidar os manifestantes de esquerda. Por conta disso, empregar apenas a tática institucional, é praticamente encarregar um lobo ir atrás do outro para defender as galinhas.

Diante deste acontecimento, é notório que o fascismo no Brasil, portanto, está se apoderando, além dos seus recursos tradicionais, como alto investimento militar, também está paralelamente cada vez mais utilizando os recursos digitais para intimidar os seus opositores. Isso tudo amparado, é claro, pelo apoio da burguesia. Isto porque a classe dominadora, sabendo da crise do capital, precisa impedir qualquer manifestação que seja que opõe ao regime golpista, até mesmo uma palestra ela precisa dos seus lacaios para atrapalhar o desenvolvimento da luta que se trava contra o bolsonarismo.

Tal qual como ocorreu na palestra, o Diário da Causa Operária, Ponte Jornalismo e demais veículos de esquerda, também sofreram ataques virtuais de natureza fascista. Neste sentido, é muito importante reagir a altura diante desses acontecimentos. Isso porque trata-se de um ataque que é além de uma palestra progressista, mas sim contra toda a esquerda.

Segue a lógica do golpe de estado de 2016, pois, a partir de então, principalmente com a prisão de Lula e da eleição fraudulenta do Bolsonaro, a extrema-direita foi cada vez mais acobertada pelas instituições do regime, avançando progressivamente contra toda a esquerda, de palestras que discute o anticomunismo, ao ataque contra o Diário que impulsiona a luta pelo Fora Bolsonaro.

Por conta disso, o Partido da Causa Operária se solidariza aos organizadores e estudantes deste evento e muito mais do que delegar a função burocrática a uma instituição totalmente de acordo com o bolsonarismo, que é Delegacia Especializada em crimes virtuais, é preciso buscar formas de assegurar algum tipo de segurança a essas atividades virtuais da esquerda.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas