Intimidação da PF contra Eduardo Guimarães revela aumento da perseguição política contra opositores do golpe

IMG_6460

Mais uma demonstração da verdadeira ditadura que vem se instaurando no país. Na manhã da quinta-feira, dia 20, dois policiais federais foram até o apartamento do jornalista e blogueiro, Eduardo Guimarães, com o objetivo de, supostamente, fazer “perguntas” ao blogueiro sobre o “terrorista” Cesare Battisti.

Battisti, ex-militante político de esquerda da Itália, pertencente ao grupo guerrilheiro urbano Proletários pelo Comunismo, braço armado das Brigadas Vermelhas, teve seu asilo político no Brasil concedido no final de 2010, pelo ex-presidente Lula, uma decisão que se opôs à decisão anterior do STF, a qual determinava sua extradição para a Itália. Na última quinta-feira, 13, o ministro golpista do Supremo Tribunal Federal, Luís Fux, determinou a prisão política do ativista italiano, passando por cima da decisão do ex-presidente Lula, seguindo uma determinação da Interpol.

Como sequência dessa perseguição política, a polícia federal foi até a casa de Eduardo Guimarães, sem qualquer base legal, “fazer perguntas”. É a terceira vez em menos de um ano que o jornalista recebe uma “visita” da Polícia Federal.

Trata-se de uma ação verdadeiramente ditatorial, que condiz com a situação política do País, onde os direitos democráticos da população pobre e trabalhadora são mais e mais esmagados. É preciso mobilizar desde já contra esse verdadeiro estado de exceção, organizar os comitês de luta contra o golpe e impulsionar a mobilização em defesa do “Fora Bolsonaro” e pela Liberdade do ex-presidente Lula.