Siga o DCO nas redes sociais

Intervenção militar no Rio é pouco para Manuela D’Ávila, “nós teríamos outras intervenções?”
Intervenção militar no Rio é pouco para Manuela D’Ávila, “nós teríamos outras intervenções?”

Manuela D´Avila, pré candidata a presidente do país pelo PCdoB nas improváveis eleições de 2018, em entrevista ao golpista jornal da UOL no dia 26 fevereiro, declarou que a intervenção militar de Temer, como a  criação de um Ministério da Segurança Pública é insuficiente para conter a violência no Brasil.

Segundo a pecedobista, as medidas do golpista Temer são insuficiente, “eu criaria um ministério da Segurança Pública, não transitório, mas de verdade”, afirmou Manuela.

Seguindo a confusão reinante da esquerda brasileira diante da possibilidade de golpe militar no País, Manuela ajuda desarmar a militância que quer lutar contra o golpe, reafirma que a intervenção no Rio é uma ação demagógica do semi-cadáver Michel Temer.

O discurso de Manuela também realça o programa da direita de que o crime e a violência no país é preciso mais repressão, ou seja, Manuela se presidenta iria fortalecer os órgãos de controle e repressão sobre o povo, com o exército na rua e o Ministério da Segurança Pública.

É por essas e outras que a pré-candidatura de Manuela a presidente da República pelo PCdoB recebe tanta visibilidade na imprensa golpista, pois apesar de ela se colocar no campo da esquerda, sua candidatura serve aos propósitos da direita, que é o de retirar alguns votos do PT e enfraquecer a luta contra o golpe, apresentando um programa que reforça a ideologia de direita.