Interior de SP: PM proibe candidata petista de fazer campanha mostrando Lula

42467505_232500237622379_3673794830338621440_n

A candidata pelo Partido dos Trabalhadores de Paraguaçu Paulista, Professora Mariana Rosseto, foi reprimida pela Policia Militar da cidade de Assis, interior de São Paulo, nesse domingo, dia 23 de setembro, enquanto fazia uma panfletagem em uma feira livre da cidade. Mariana, junto com outros simpatizantes de sua campanha, estava panfletando seu material na entrada da feira, quando uma viatura da policia a abordou e pediu para que parasse de entregar seus panfletos.

A policia apresentou como justificativa a presença da imagem do ex-presidente Lula  em seu material de campanha. Além da repressão totalmente ilegal, outro absurdo foi que o Policial Militar que fez a abordagem, quando questionado sobre qual era o motivo da apreensão do material, não soube explicar o motivo e afirmou que havia entrado antes de fazer a abordagem no site do TSE e não havia encontrado nada afirmando que deveria ser apreendido os panfletos com a imagem do Lula.

Mesmo assim, a professora, que e candidata a deputada federal pelo partido dos trabalhadores, foi levada a delegacia de policia com seus apoiadores de campanha, ficando cerca de quatro horas na delegacia, prestando depoimento. Uma verdadeira perseguição politica contra a companheira.

O caso, soma-se a outros casos de perseguição contra a esquerda em todo o pais. Em Curitiba, nas ultimas semanas, um jovem candidato do PT levou dois tiros de bala de borracha da Guarda Civil Metropolitana da cidade, somente porque estava entregando seu material de campanha. Em outra ocasião, um cadeirante que estava com uma faixa Lula Livre, foi reprimido brutalmente pelas forcas policiais. O candidato ao governo do Parana pelo PT, Doutor Rosinha, também foi alvo de um atentado a bomba enquanto percorria uma região central de Curitiba.

A violência contra a esquerda nas eleições e consequência do golpe de estado, o qual esta se profundando cada vez mais. Os golpistas que, de maneira ilegal e totalmente arbitraria, impediram o ex-presidente Lula de ser candidato, a principal liderança popular do pais,  agora vem impondo um regime ditatorial e de terror contra a esquerda e todo povo.

E preciso denunciar a fraude das eleições sem a participação de Lula e chamar a população a se mobilizar contra o golpe de estado e o verdadeiro regime de exceção e de terra arrasada que querem impor no pais. Somente a mobilização popular nas ruas pode impor uma derrota aos golpistas.