Inimigos da educação: golpe fechou 7 cursos na UFMS, estudantes protestam

Kédia-Caroline-Ramires-Neves.-PONTA-PORÃ.-PROTESTO-CONTRA-FIM-DE-CURSOS-NA-UFMS

Em meio ao protesto de estudantes e funcionários, a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), durante reunião do Conselho Universitário, realizado nesta quinta-feira  (20), decidiu suspender sete cursos superiores, em três campus, já para o ano de 2019. O fechamento dos cursos é resultado da política de cortes do governo golpista, política está quebrando quebrando se estender no próximo período, impactando profundamente o ensino Superior público no país.

Estudantes e servidores, que protestaram contra a suspensão afirmaram estão conduzindo a suspensão de forma intransigente, sem qualquer discussão previa com alunos e funcionários. A Universidade, por sua vez, informou, de maneira cínica, que não se trata de fechamento, embora os cursos não constem já no próximo vestibular, mas de uma parada para “reflexão”, sinalizando que talvez um dia possam voltar a serem oferecidos. Esta medida extrema, de redução do quadro de cursos que uma Universidade Federal oferece, diante da falta de verbas, de sucateamento promovida pelos golpistas a educação superior, como também na básica, constitui o expediente que pode ser primeiro passo para uma ampla e rápida redução do quadro universitários no país.

Os cursos suspensos são: Licenciatura em Letras (Habilitação em Português e Literatura) e Bacharelado em Turismo no campus de Aquidauana; Gestão Financeira (tecnológico) no campus de Nova Andradina; os cursos tecnológicos de Eletrotécnica Industrial, Construção de Edifícios e Saneamento Ambiental, da Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo e Geografia, em Campo Grande. Dois outros cursos, que escaparam de ser suspensos foram ciência e da computação, do Campus de Ponta Porã e Letras (literatura) no Campus Três Lagoas.