Inimigos da cultura, Bolsonaro e Guedes querem fim de investimentos culturais do Sesc

pauloguedes126924

Uma das principais vítimas, tanto do fascismo, quanto do chamado neoliberalismo, essa política destruição promovida pela burguesia imperialista em decadência, é a cultura. O futuro governo ilegítimo de Jair Bolsonaro, um governo neoliberal com forte tendência fascista, que pode vir a se desenvolver, já dá mostras de sua repulsa pela área, pretende destruir o Ministério da Cultura.

O economista neoliberal Paulo Guedes, responsável por toda a política econômica deste que parece ser filme de horror, futuro governo, irá retirar a cultura do sistema S, conforme reportagem no jornal golpista O Globo.

Ou seja, o Sesc, conhecido nacionalmente pela promoção e pelas atividades culturais que desenvolve em diversas cidades do país deixará de fazê-lo. Também Sebrae, Sesi e Senai deixarão de realizar qualquer atividade relacionada a cultura. Nada que não esteja estreitamente relacionado a capacitação de Trabalhadores será patrocinado.

Não só o governo não terá qualquer política para o desenvolvimento cultural do país, como está destruindo as poucas instituições que a promove.

Não é apenas por uma questão ideológica que os fascistas e “neoliberais” atacam a cultura, evidentemente há também este elemento, contudo o elemento econômico se sobrepõe, o governo Bolsonaro é o governo dos golpistas, dos grandes capitalistas, dos banqueiros internacionais, dos latifundiários etc., e este sugará todos os recursos do país para favorecer estes donos do golpe.