Inimigo das mulheres: Bolsonaro defende fim da licença maternidade

bolsonaro

Da redação – O Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), guarda em seus arquivos a posição assumida por Jair Bolsonaro em relação à maternidade: perda do direito a estabilidade da gestante e fim dos 120 dias de direito à licença.

Além desses absurdos, o pré-candidato fascista que diz não haver racismo no Brasil é favorável ao fim da previdência 100% estatal e a execução de medidas provisórias de “maior rigor”.

A imprensa burguesa que divulgou esses dados, a  golpista Revista Veja, fez questão de excluir Lula da contagem das aceitação popular para a presidência do Brasil, chamando o fascista Bolsonaro de “pré-candidato com maior pretensão de votos”. Lula é o candidato mais popular do Brasil  e tem mais de 35% de votos nas pesquisas manipuladas.