Industriais golpistas se recusam a sabatinar Lula e a esquerda; Ciro está convidado

CIRO-GOMES

A CNI (Confederação Nacional das Indústria), órgão da burguesia golpista nacional, fará nesta quarta-feira 4/07 um evento para alguns pré-candidatos à presidência da república. Os convidados são: Geraldo Alckmin (PSDB, Marina Silva (Rede), Jair Bolsonaro (PSL), Henrique Meirelles (MDB), Ciro Gomes (PDT) e Álvaro Dias (Podemos).

A reunião de clube, contará em sua abertura com a presença do presidente golpista Michel Temer. Evidenciando que convidou apenas candidatos apoiados pela entidade que apoiou o golpe de estado que derrubou a presidenta Dilma Rousseff, a entidade nem ao menos convidou qualquer representante do PT, partido cuja candidatura está em primeiro lugar nas pesquisas, inclusive da própria CNI. Marcante ainda são as ausências de Manuela D´Ávila (PCdoB) e Guilherme Boulos (PSOL).

A presença entre os convidados de figuras sem nenhuma expressão eleitoral evidencia o critério puramente ideológico da seleção. O que, dado o perfil da confederação não chega a causar estranheza.

A presença de Ciro Gomes serve para reafirmar o caráter patronal e golpista de sua candidatura.

Mais do que um candidato conciliador, Ciro é um elemento da própria burguesia e, conforme caem as folhas do calendário escorre sua maquiagem esquerdista, vai ficando mais claro o caráter reacionário de sua participação nas eleições.

Apoiar a candidatura de Ciro é apoiar o golpe e insinuar qualquer aliança das esquerdas em torno de sua imagem é um vergonhoso ato de capitulação.