Indígenas Guarani Mbya são ameaçados por pistoleiros em área retomada de Porto Alegre

guarani-mbya_ponta-do-arado

Seis pistoleiros fortemente armados invadiram a área retomada por famílias indígenas da etnia Guarani Mbya e ameaçaram as famílias de morte caso não deixem o local. Os indígenas retomaram a fazenda do Arado, localizada na Ponta do Arado, bairro Belém Novo, Porto Alegre.

Os pistoleiros chegaram e ameaçaram as famílias se dizendo policiais e afirmaram que iriam retirar as famílias de qualquer maneira. Os indígenas retomaram suas terras ocupadas tradicionalmente e que foram expulsas a tempos atrás, inclusive com um importante sítio arqueológico, com pinturas pré-coloniais. Hoje os indígenas e o sítio arqueológico se encontram ameaçados por um grande projeto de especulação imobiliária que está planejado na área com 2.300 residências de alto padrão.

A ação de pistoleiros formados por policiais não é nenhum novidade, muito pelo contrário, o que observamos é que a maior parte desses grupos contratados por latifundiários, grileiros de terra e especuladores imobiliários possui ou é dirigido por policiais.

A polícia está a serviço dos poderosos da região e, principalmente com a tomada do governo pelos golpistas, contam com o apoio desses governantes golpistas e do judiciário. Há um crescimento de grupos fascistas e milícias de direta e a tarefa urgente para os indígenas é a formação de comitês de autodefesa contra os ataques e ameaças de latifundiários e seus pistoleiros e a denuncia dessas ameaças realizadas contra os que lutam por sua terra.