Siga o DCO nas redes sociais

Indígenas divulgam vídeo denunciando desocupação truculenta da PM-MS
Manoel_Kinikinau-300x171
Indígenas divulgam vídeo denunciando desocupação truculenta da PM-MS
Manoel_Kinikinau-300x171

O velho e decadente Estado burguês segue praticando suas violências diárias contra a população indígena, que há décadas enfrenta lutas contra os grandes latifundiários e fazendeiros, que querem tomar conta das terras indígenas e já protagonizaram diversos genocídios contra esse povo, que é o verdadeiro dono dessas terras. Dessa vez, a violência brutal aconteceu no Mato Grosso do Sul, em 1º de agosto, quando a polícia militar atacou de maneira covarde o povo Kinikinau, após estes ocuparem a Fazenda Água Branca, em Aquidauana.

Segundo os indígenas, essa fazenda pertence à Fundação Bradesco e a desocupação ocorreu de forma violentíssima, sem ordem judicial, com repressão e bombas de gás que atingiram os indígenas, deixando um deles ferido na cabeça. Há anos o povo Kinikinau reivindica essas terras, sendo protocolada e reconhecida também por estudos antropológicos na Funai (Fundação Nacional do Índio).

Com respaldo aberto do prefeito de Aquidauana, Odilon Ribeiro (PSDB), cerca de 100 policiais militares atacaram de maneira truculenta os Kinikinau, utilizando até um helicóptero para atacar os indígenas, incluindo mulheres, crianças e idosos. Odilon Ribeiro chegou a gravar um vídeo em que parabeniza a ação policial e diz que há a necessidade de “dar ordem e paz para o país”. É inadmissível que uma ação dessa seja patrocinada por um prefeito, quando o mesmo deveria dar segurança para sua população, mas Odilon faz jus ao seu partido, PSDB, conhecido por seu caráter violento personificado no principal aparato repressor do Estado, a PM.

Luiz Eloy Terena, Advogado indígena da Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil), afirma que o “Mato Grosso do Sul tem um histórico de comunidades atacadas por pistoleiros, mas você ter uma ação policial a luz do dia de forma clara e sob o comando de um prefeito é muito grave. Pra se ter noção, os policiais estavam em um ônibus escolar”. Mas mesmo com esse ataque genuinamente covarde por parte da PM, o povo kinikinau não abaixou a cabeça e nem se rendeu, ficando para lutar por seu território.

Em vídeo, a liderança indígena Manoel Kinikinau, que foi atingido na cabeça por uma bomba de gás lançada pela PM, afirma que “Eu sou indígena … a gente não vai parar por isso, a gente vai dar continuidade na luta!”. Assista o vídeo abaixo: