Indígena guajajara é assassinado por latifundiários no Maranhão

Pic+1+Black+Block

O cacique da Terra Indígena Araribóia, na Amazônia maranhense, foi brutalmente assassinado por latifundiários no Maranhão, seu corpo foi encontrado neste dia 12 de agosto no rio Zutiwa. O crime ocorreu na cidade de Arame, onde está localizada parte da Terra Indígena.

O cacique Jorginho Guajajara, da aldeia Cocalinho, foi assassinado por latifundiários ligados a exploração madeireira, pois atuava em defesa da terra indígena e havia realizado constantes denúncias e organizava grupos de autodefesa dentro da terra indígena chamados de “Guardiões da Floresta”.

As denuncias são que os latifundiários atuam dentro da terra indígena e após o golpe de estado realizado em 2016, esses ataques aumentaram de maneira exponencial e as ameaças  contra os indígenas também.

A polícia civil do Maranhão está afirmando que o cacique morreu por afogamento para tentar esconder a verdadeira motivação do assassinato. Os indígenas afirmam que na cidade tem até toque de recolher para atacar os indígenas que estão na cidade e escondem a exploração dentro da terra indígena.

É preciso denunciar esse assassinato como crime encomendado pelo latifúndio e que o direito de autodefesa da comunidade indígena guajajara deve ser ampliado e organizado contra esses ataques e ao avanço dos latifundiários dentro das terras indígenas.