Índia perdeu 5 milhões de postos de trabalho em dois anos

XVNQEIBFLII6TNNUDUMN7N5QQQ
Nova Delhi, 17 abr (Prensa Latina) Ao redor de cinco milhões de pessoas perderam seus empregos na Índia entre 2016 e 2018, assinalou um relatório que publicou hoje a Universidade Azim Premji, com sede em Bengaluru, capital do estado de Karnataka.
O informe indica que o desemprego aumentou de maneira constante após 2011. A taxa de desocupação geral foi de ao redor de seis por cento em 2018, o dobro do que foi na década de 2000 a 2011.

Os desempregados em todo o país são em sua maioria educados e jovens. Entre as mulheres urbanas, as graduadas representam 10 por cento da população em idade de trabalhar, mas 34 por cento das desempregadas.

Entretanto, o grupo de idades de 20 a 24 anos está muito representado no excesso entre os desempregados. Entre os homens urbanos, este grupo etário representa 13,5 por cento da população em idade de trabalhar, mas 60 por cento dos desempregados.

Entre os homens rurais, os graduados são ao redor de sete por cento da população em idade trabalhista, com mais de 20 por cento dos desocupados.

Enquanto, entre as mulheres rurais, as graduadas constituem só um pequeno 3,2 por cento da população em idade trabalhista, ainda que representam 24 por cento das pessoas sem trabalho.

O relatório cita que o desemprego aberto hoje em dia é em grande parte uma preocupação para os menores de 35 anos e para aqueles que recebem educação para além da classe 10, e particularmente da classe 12.

As mulheres estão em pior situação que os homens com respeito aos níveis de desemprego, bem como uma menor participação da força trabalhista, agregou a investigação.