Incêndios nos Correios…coincidência ou uma política que acompanha Gilberto Kassab?

gilberto kassab e temer

A ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) que existe como empresa pública desde 1969, nunca teve incêndio em suas dependências, mas no ano de 2018 já possui a ocorrência de cerca de 7 incêndios em unidades de triagem e transbordo da empresa.

O incêndio que mais causou estrago foi no CTCE(Centro de Triagem de Cartas e Encomendas) de Fortaleza, que ocasionou a destruição de 90% da unidade.

Também ocorreram incêndios no CTCE Benfica no Rio de Janeiro e no CTCE de Indaiatuba/SP, próximo a cidade de Campinas.

Esses incêndios, que não possuem responsáveis, causaram prejuízos incomensuráveis para os Correios, pois além da destruição do patrimônio dos Correios, estão provocando o pagamento de indenizações aos clientes dos Correios que tiveram suas encomendas queimadas e deterioradas para chegar ao destinatários.

Isso tudo acontece no momento em que os golpistas que assumiram o governo federal, e o controle da Estatal (ECT), estão dizendo em bom som que os Correios precisam ser privatizados, pois a empresa (ECT) é deficitária, só dá prejuízo e portanto tem que ser destruída, vendida, entregue aos capitalistas do mercado postal.

Uma coisa que é muito coincidente nesses incêndios, é que o Ministro golpista que controla hoje os Correios, Gilberto Kassab, é conhecido por incendiário pelo população pobre de São Paulo.

Quando Gilberto Kassab era prefeito de São Paulo, era constante a cidade amanhecer com algum incêndio em favelas localizadas em bairros nobres, como o Morumbi.

O incêndio que nunca tinha sua causa, acaba com as casas do moradores populares, e no dia seguinte, os caminhões da prefeitura já estava no local para desocupar e transportar esses moradores, com assistentes sociais que “ajudam” os moradores com 2 a 3 mil reais para o deslocamento das famílias.

Ao conseguir desocupar essas áreas com esses incêndios, Kassab entregava os terrenos para a especulação imobiliária que começa a construção de valiosos polos imobiliários de classe média na região.

Nos Correios, os incêndios são muito parecidos, já que os grandes capitalistas do mercado postal, querem o fim da logística dos Correios, seus centros de triagem de encomendas, para que eles controlem esse mercado que só crescem devido a compra de mercadorias via internet.