Imprensa golpista que defende privatização da Eletrobras achou o culpado pela conta de luz: a Venezuela

Power lines connecting pylons of high-tension electricity are seen in Brasilia

O cinismo do governo golpista de Michel Temer e da imprensa venal tem se superado a cada dia. A mais nova operação golpista contra o povo brasileiro é colocar a culpa do aumento da conta de energia na Venezuela. Isso mesmo! Segundo a versão fantasiosa da imprensa golpista como a Folha de S. Paulo, a Globo etc, há uma projeção de aumento na conta de energia dos brasileiros devido à crise no país vizinho. No conto de fadas dos golpistas, os vilões da história, a Venezuela, além de serem “ditadores sanguinários”, seriam responsáveis por fazer o brasileiro pagar uma conta de energia mais cara.

A alegação dos golpistas é que há a possibilidade de interrupção no fornecimento de energia à Roraima pelos Venezuelanos, único estado que não é ligado ao sistema elétrico brasileiro e que depende de importações de energia do país vizinho. Isso ocorreria devido a crise econômica vivida pelo país vizinho. O que leva a constantes apagões e que poderá levar ainda à interrupção total do fornecimento de energia, devido à dificuldade do governo brasileiro em realizar o pagamento da energia importada. É a famosa “história pra boi dormir”.

Como o governo brasileiro, através da Eletrobrás, supostamente tenta realizar o pagamento pela energia importada à estatal venezuelana Corpoelec desde Novembro de 2017 e não consegue? Essa versão se parece mais aquela conversa de “dívida de fiado em boteco” e não na relação entre Estados que firmaram um contrato de fornecimento de energia desde 2001, com duração de 20 anos.

Segundo fontes do governo brasileiro, os recentes embargos impostos pelo governo norte-americano de Donald Trump à Venezuela, poderiam ser as causas das dificuldades encontradas no pagamento da energia, que já acumula uma dívida de mais de 30 milhões de dólares. O bloqueio afetaria as transações com instituições financeiras venezuelanas. Outra história mal contada. Estamos falando de um Estado vizinho do Brasil. Há muitas saídas possíveis se houvesse o real interesse em pagar a Venezuela pela dívida existente.

Coincidentemente o não pagamento pela energia venezuelana se iniciou pouco tempo após o jantar do presidente Trump em Nova York com Michel Temer e outros presidentes da região, como a Colômbia e o Peru. O tema da conversa foi justamente a Venezuela e as possíveis ações para levar à frente um golpe de Estado contra o país latino-americano. Obviamente os golpistas, instruídos pelo EUA, estão criando artificialmente uma situação de conflito do Brasil com a Venezuela para aumentar a campanha contra o país vizinho e assim justificar uma possível intervenção imperialista.

A possibilidade da interrupção da energia da Venezuela para Roraima em setembro levou a Eletrobrás a fazer um plano para o uso de termoelétricas. A ativação dessas usinas necessita de um grande uso de combustível, o que levaria a uma despesa adicional de 400 milhões de reais até o final do ano. Baseando-se nesse gasto desnecessário, o governo brasileiro e a imprensa golpista aproveitam para ao mesmo tempo justificar o aumento de energia elétrica, que já tem tido um grande aumento recente na conta de luz dos brasileiros, e, fazer uma nova campanha contra a Venezuela que luta há décadas contra tentativas de golpe de Estado pelo imperialismo.

O cinismo do governo brasileiro é tamanho que, mesmo esse gasto adicional com a crise provocada não é a maior parte do valor que será transferido às contas de luz. O governo prevê o gasto de cerca de 8,2 bilhões de reais em 2018 para o subsídio a energia renováveis.

Para piorar ainda mais, o governo alega que o atraso nas privatizações das distribuidoras da Eletrobrás reduziram a previsão de receitas em 829 milhões de reais e, portanto, também contribuíram para o aumento da energia. É um cinismo sem limites. Diminuem os investimentos na produção e transmissão de energia e ainda querem entregar a “preço de banana” o patrimônio público brasileiro para empresas privadas nacionais e estrangeiras que apenas querem extorquir o povo brasileiro com tarifas cada vez mais caras.

Estatal de energia elétrica venezuelana, a Corpoelec