Campanha contra as torcidas
Articulista do UOL chama torcedores de bandidos, mais um pretexto para reprimir
fernando-diniz-10112020005129203
Fora Diniz: direito da torcida protestar | Foto: Reprodução.
fernando-diniz-10112020005129203
Fora Diniz: direito da torcida protestar | Foto: Reprodução.

Foi só a torcida do São Paulo fazer um protesto contra o time, que perdeu a liderança há algumas rodadas, e vive uma má fase com 2 pontos conquistados em 15 disputados, que a imprensa capitalista não perdeu tempo e atacou os torcedores como terroristas e bandidos. Mais um pretexto dos veículos da imprensa esportiva, controlada pelos monopólios de comunicação como a Rede Globo, verdadeiros inimigos do futebol brasileiro, para perseguir as torcidas.

O time de Fernando Diniz não vive bom momento, foi eliminado pelo Grêmio nas semifinais da Copa do Brasil e perdeu a liderança do campeonato brasileiro para o Internacional. Além do mais, está mais do que claro que o jejum de oito anos sem títulos do clube está pesando, colocando uma maior ansiedade nos jogadores, que não estão sabendo lidar com a pressão.

Mas em uma coluna de opinião do articulista André Rocha do Uol, fica muito claro o total desprezo e nojo pelo qual muitos jornalistas esportivos – que vivem disso, aliás – sentem pelas camadas mais populares, que vivem do futebol seu dia-dia, a paixão nacional. Afinal de contas, no Brasil, nada poderia ser mais natural que muitos sentimentos sobre o esporte de massas sejam inflamados no país do futebol, que está mais do que enraizado na cultura nacional.

De acordo com o colunista, os torcedores não acompanham os campeonatos, não possuem a ”visão geral” do torneio. Só acompanham os rivais para ”secar”. Então, naturalmente a maioria se trata de um bando de tontos, que vai conforme andar a maré. Não podem ser capazes de criticar os jogadores por não estarem comprometidos com a equipe, ou com as diretorias que contratam errado. Basicamente o torcedor nunca pode estar certo, porque somente os jornalistas esportivos, estes seres de luz e sabedoria podem saber o que realmente está acontecendo com os clubes de futebol.

Um posicionamento semelhante aos das direções da esquerda pequeno-burguesa e burguesa, que acreditam que ”o povo é burro”, que ”não sabe votar” e subestimam a inteligência da população. No entanto, diferente dessa esquerda, durante o ano de 2020 essa população “ignorante” colocou os fascistas para correr em grandes atos de rua, iniciados pelo PCO e acompanhados por torcidas como a Gaviões da Fiel, do Corinthians.Isto tudo enquanto as sábias direções da esquerda se escondiam em baixo da cama e utilizavam a pandemia como desculpa para não lutar contra a direita e os patrões.

À revelia da capitulação das direções e dos entendidos, os atos se estenderam por todo o país, mostrando que os integrantes das torcidas eram pessoas com um certo nível de consciência política, provando que essa posição dos jornalistas, que tratam os torcedores como ”terroristas e bandidos” é um verdadeiro absurdo. Uma campanha reacionária, contra a organização dos trabalhadores em organizações de massa, como as torcidas.

Não se trata aqui de fazer uma defesa da chamada ”emboscada” de sete torcedores aos ônibus do São Paulo no caminho para a partida contra o Coritiba, pela última rodada do campeonato. Mas sim apontar o que acontece, o que se vê é uma campanha da imprensa em tentar desmoralizar toda a torcida do São Paulo, como se ela e as torcidas organizadas, de conjunto, fossem ”bandidos”, ”criminosos”, ”ignorantes”. Porque para jornalistas, como André Rocha, estes sequer sabem o que está acontecendo. É normal para ele um time perder a liderança e estar há oito anos sem ganhar títulos, mesmo sendo um clube da grandeza do São Paulo.

Relacionadas
Send this to a friend