Imperialismo
O governo dos Estados Unidos ordenou o fechamento do Consulado chinês na cidade de Houston (Texas). Trata-se de mais um episódio da agressão imperialista contra a China.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
consulado-china-eua-22072020160551579
Consulado da China em Houston | ADREES LATIF, ADREES LATIF | Credit: REUTERS

 

Os Estados Unidos ordenaram o fechamento do Consulado da China em Houston (Texas). Segundo o Departamento de Estado, o objetivo é “proteger a propriedade intelectual americana e informações privadas dos americanos”. Os chineses afirmaram que se trata de uma provocação e ameaçaram com represálias.

Em declaração publicada na imprensa, o porta-voz do Departamento de Estado, Morgan Ortagus,  disse que “os Estados Unidos não tolerarão violações de nossa soberania e intimidações de nosso povo pela China, da mesma maneira que não toleramos as práticas comerciais injustas, o roubo de empregos de americanos e outros comportamentos flagrantes. O presidente Trump insiste sobre a justiça e a reciprocidade das relações sino-americanas.”

O país asiático tem cinco consulados no Estados Unidos e referiu-se ao fechamento do consulado como uma violação do direito internacional.

O episódio é mais uma na escalada de ataques por parte dos americanos contra a China. O fechamento do consulado representa um passo no sentido de rompimento de relações diplomáticas, ainda que isso seja improvável devido aos vínculos econômicos estreitos entre os dois países.

O imperialismo mundial, em especial os Estados Unidos, se encontra em uma guerra econômica contra o gigante asiático. Em diversas ocasiões, Trump anunciou o aumento da alíquota de taxação de produtos chineses. A situação mais recente é a sabotagem  e perseguição contra a empresa Hwauei e seu serviço de 5G.

A questões de Hong Kong e Taiwan são dois pontos sensíveis nas relações entre EUA e China. Para os americanos, Hong Kong não deve estar subordinado à legislação do governo central da China, o que representa a perda de uma parte da soberania dos asiáticos sobre seu próprio território.  No caso de Taiwan, os chineses afirmam que a ilha é uma província rebelde, enquanto os norte-americanos reconhecem sua independência política e mantém bases militares em seu território.

A guerra comercial contra a China demonstra que o imperialismo não admite concorrência e procura manter o domínio sobre o mercado mundial. O fator fundamental é impedir que os chineses avancem sobre os mercados controlados pelos países imperialistas, como as áreas de internet e tecnologia.

Os Estados Unidos, país que desfruta da maior rede de monitoramento e espionagem do mundo, acusa os chineses de espionagem.  O país que detém o maior controle sobre os meios de comunicação, incluindo a internet, procura acusar a China de fazẽ-lo.

O fechamento do consulado é mais um episódio da luta do imperialismo contra a China.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas