Impedir a prisão de Lula, libertar todos os presos

Hoje se dá o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula, que foi alvo de um processo arbitrário de perseguição política, promovido pelos golpistas, tendo como executor o juiz Sérgio Moro e o Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Sem direito de defesa, sem contraditório, sem provas, a maior liderança popular no Brasil pode ser preso hoje ou nos próximos dias, a depender do entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF).

Esse método, de prender pessoas sem prova alguma, foi o que resultou nos mais de 700 mil presos que o sistema penal possui hoje. É o reino da arbitrariedade onde quem manda é o mais forte, quem tem dinheiro, quem controla o sistema judiciário e penal, ou seja, a direita golpista.

Lula representa a esquerda que está na luta contra o golpe de Estado. Suas caravanas polarizaram a situação política ao ponto de sofrer um atentado quando esteve no Sul do País. É a luta das vítimas do golpe contra os golpistas.

Em último caso, a liberdade de Lula é caminho essencial para a liberdade de todos que estão sendo torturados dentro do sistema penal, que é uma máquina de moer gente, um depósito humano.

É preciso ter claro que se Lula for preso, uma nova onda de repressão será inaugurada pelo Poder Judiciário contra o povo pobre, negro e trabalhador. Podemos rapidamente chegar a um milhão de presos, e esse é o objetivo dos golpistas, do regime penal.

Impedir a prisão de Lula, da maneira que for possível, é impor uma derrota ao sistema penal, ao judiciário que ninguém elegeu, e passo essencial na luta contra o golpe de Estado, em defesa das liberdades democráticas e garantias fundamentais.

Lutar contra a prisão de Lula deve ser o objetivo de todos que lutam contra as atrocidades do sistema penal, da Polícia Militar e de todo o aparato repressivo. É preciso intensificar essa campanha e avançar, para a soltura imediata de todos os presos brasileiros, que são vítimas das barbaridades cometidas pelo sistema da burguesia.