Menu da Rede

Adquira o Jornal Causa Operária 1.172!

O cemitério das manifestações

Ilusões na CPI: o caminho para a derrota da esquerda

A burguesia intensifica sua campanha da CPI para tentar controlar as mobilizações, caso a esquerda caia nesta manobra isso levará a classe operária a derrota

De onde menos se espera, daí é que não sai nada. – Foto reprodução.

Redação do DCO

Vinícius Rodrigues

Em meio à situação de polarização no País, criada pelo golpe de Estado e a crise internacional do capitalismo, a tendência natural é que as forças políticas se aglutinem entre a extrema-direita bolsonarista e a esquerda, principalmente na figura de Lula. Enquanto isso, a direita tradicional, que é a forma de dominação de preferência da burguesia, afunda cada vez mais perdendo qualquer resquício de popularidade que lhe havia sobrado. Sem lastro popular nenhum, essa direita utiliza de suas poderosas armas para tentar controlar a situação política, o Judiciário, o parlamento e a impressa burguesa, a CPI da Covid-19 é justamente a sua manobra do momento.

As disputas internas da burguesia são um aspecto fundamental da luta de classes em todo o mundo. As eleições dos EUA, em que após removido o candidato mais popular da esquerda por meio de um golpe, se deram entre Biden e Trump, mostraram como essa disputa pode ser acirrada. No Brasil, Bolsonaro nunca foi o candidato preferencial da burguesia, ele é aceito pois ainda é um representante da classe dominante, contudo a todo momento a burguesia tenta controlar as suas ações e preparara o terreno para em 2022 colocar um candidato de algum partido da direita tradicional, como o PSDB, o MDB ou o DEM, no governo.

O principal setor da burguesia, que apoia essa direita tradicional, aproveita o repudio à extrema direita para crescer a sua popularidade. Assim, ela lança a tática da frente ampla supostamente contra o fascismo e consegue agrupar os setores mais direitistas e oportunistas da esquerda pequeno burguesa, que por sua vez lança campanhas para tentar convencer suas bases de que uma aliança com escórias, como FHC, e contra Lula seria a política correta. Por meio da frente ampla a direita consegue colocar esse setor da esquerda a seu reboque e tenta utilizar a sua base para voltar ao governo, por outro lado, a esquerda perde cada vez mais popularidade ao se aliar com os golpistas e assim aumenta a força de Bolsonaro.

A CPI da Covid é uma clara manifestação dessa frente ampla, o fato das ruas de todo o País estarem tomadas por centenas de milhares de trabalhadores lutando pelo fora Bolsonaro faz com que a burguesia fortaleça a sua campanha pela via parlamentar para tentar controlar o movimento. O grande exemplo histórico disso foi o movimento das Diretas Já que canalizou suas forças para o Congresso ultrarreacionário, como o atual, em vez de manter a luta pela derrubada completa da ditadura no âmbito das ruas e das organizações dos trabalhadores. O resultado foi a eleição de Sarney, o coronel do Maranhão e ex presidente da ARENA, partido da ditadura.

Outro ponto importante é que os setores que controlam a CPI são justamente os pais do bolsonarismo, os que organizaram o golpe de 2016, que fraudaram as eleições de 2018 prendendo o ex presidente Lula e assim colocaram Bolsonaro no governo, confiar nessa direita para derrubar o presidente fascista beira a loucura. Não só isso, como essa direita tende a ter uma política ainda pior que a de Bolsonaro, uma política neoliberal ainda mais agressiva e mais bem aplicada, como na era do lacaio do imperialismo FHC.

Sendo assim, a “vitória” da CPI com uma possível derrubada de Bolsonaro não teria ganho nenhum para a classe trabalhadora, seria uma saída pela direita, em que a burguesia teria o controle da situação. Ela escolheria o golpista que governaria e imporia uma vitória sobre a esquerda que estaria controlada por meio da frente ampla. Somente com mobilização ampla esse perigo pode ser afastado.

Nos EUA algo semelhante aconteceu, a esquerda que apoiou a frente ampla com Biden nas eleições agora não mobiliza um dedo contra o seu governo, ficou completamente a reboque da política do imperialismo.

Isso seria também uma derrota da mobilização que veria suas forças canalizadas para uma derrota, caso a CPI não derrube Bolsonaro, ou para uma falsa vitória. A frente ampla na realidade é sempre uma derrota da mobilização popular, ele é por definição contra a mobilização popular, é uma arma da burguesia para manter a sua dominação política. Ela atua por dentro das mobilizações como uma sabotagem interna, infiltrando as cores verde e amarela dos inimigos dos trabalhadores, alterando as pautas das mobilizações e substituindo a direção, que naturalmente é dos partidos de esquerda, pelo controle da burguesia.

O impeachment também é uma manifestação dessa frente ampla que caminha em conjunto com a CPI. A luta dos trabalhadores é pela derrubada do governo Bolsonaro e de todos os golpistas, o impeachment é a forma com que o congresso, controlado pela burguesia, tenha o protagonismo nessa derrubada. Não só isso como é uma política que não leva em conta que o bolsonarismo já controla o congresso em grande parte, isso ficou evidente nas eleições para os presidentes da câmara e do senado em que os candidatos do presidente fascista venceram e os candidatos da frente ampla foram derrotados.

A pior manifestação desse fenômeno aconteceu no último sábado quando as frentes que convocaram as últimas manifestações do dia 29 e do 19 escolheram subitamente uma nova data para as mobilizações com menos de uma semana de antecedência. O problema, na realidade, é justamente que essa frente das organizações de esquerda não foi quem de fato definiu esse novo dia de mobilização e sim a direita por meio da CPI do Covid. A reunião da operativa aconteceu no dia seguinte a surpreendente revelação de que Bolsonaro cometeu irregularidades na compra das vacinas, esse seria o motivo para convocar um ato com menos de uma semana de preparo.

Essas ilusões em relação ao congresso nacional em conjunto com a mudança de data revela que os setores que estão controlando essas frentes estão a reboque da política da direita, isso é o que levará a mobilização a derrota. Um dos principais motivos para que isso ocorra é a organização totalmente antidemocrática dos atos em que não se sabe quem controla as chamadas operativas. É necessário uma ampla organização democrática com plenárias em todos os municípios e bairros nas grandes cidades para que o movimento tenha raízes na classe trabalhadora, além de uma direção formal e publica que esteja submetida a esta estrutura de organização.

A classe operária, ao contrário dos parlamentares da direita que são a maioria no Congresso, quer a derrubada imediata de Bolsonaro e de todos os golpistas. Sendo assim um movimento sob controle dos trabalhadores não escolheria datas sem sentido, locais distantes e outros fenômenos estranhos que aconteceram por todo o Brasil nos últimos atos. Pelo contrário os atos se tornariam cada vez maiores e mais combativos e levariam a derrubada imediata do governo fascista, uma nova presidência de Lula e a um governo dos trabalhadores.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.